Santana encontrado em SP não foi usado em seqüestro

Um Santana azul escuro roubado e encontrado hoje por policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa Humana (DHPP), que no começo da tarde havia sido apontado por fontes da polícia como o provável automóvel que deu cobertura ao seqüestro do prefeito de Santo André (SP), Paulo Daniel (PT), não teve nada a ver com o crime, informou no início da noite a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública."A participação do Santana está descartada, uma vez que a polícia já comprovou que o carro foi roubado em março e revendido para uma pessoa idônea que o mantinha em seu poder até hoje, no momento da apreensão", informou a assessoria.O Santana usado no crime é considerado uma pista fundamental para a polícia. Duas testemunhas, uma que passeava com seu cachorro na rua onde ocorreu o seqüestro e outra que viu o momento em que os seqüestradores cercaram o carro onde o prefeito se encontrava, anotaram a placa do Santana preto que deu cobertura à uma perua Blazer dos seqüestradores. O dono do Santana, já identificado pela polícia, revelou que havia deixado o carro estacionado na zona leste e foi roubado no dia anterior ao seqüestro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.