Santo André economiza 36,2% em energia elétrica

A Prefeitura de Santo André está economizando 36,2% em energia elétrica com o Programa de Modernização da Iluminação de suas ruas. Dessa maneira, já está cumprindo a meta de racionamento de energia elétrica do governo federal, que obriga as cidades a economizarem pelo menos 35% do insumo.Na próxima semana, será divulgado o plano global de contenção do consumo de energia do município, que vai incluir os projetos de economia doméstica.Há mais de um ano, Santo André, por meio de um contrato com a Eletropaulo, realizou a troca de 37 mil luminárias nas ruas e avenidas da cidade praticamente todas as luminárias existentes na malha viária da cidade. As lâmpadas de mercúrio, modelo adotado em todas as cidades (como São Paulo e as outras do Grande ABC), foram substituídas por lâmpadas de vapor de sódio puro, que, além de gastarem cerca de 37% menos, têm um poder de iluminação cerca de 50% maior.A medida possibilitou para o município uma economia de R$ 1,2 milhão/ano. O secretário de Serviços Municipais de Santo André, Klinger Luiz de Oliveira Sousa, disse que atuar sobre a iluminação pública é a única maneira, hoje, de se atingir a meta estabelecida pelo Governo Federal. "Em Santo André, a iluminação pública representa 63% de toda a energia elétrica paga pela Prefeitura.Outras medidas estão sendo tomadas pelo município para reduzir o volume de energia pública consumida. Um plano específico está sendo realizado no próprio prédio da Prefeitura, no Paço Municipal.A iluminação de três monumentos da cidade também será suspensa, que sediam importantes atividades sociais da cidade. A energia interna, obviamente, será mantida ou seja, as atividades não serão prejudicadas. Os monumentos são: Colégio Américo Brasiliense, onde o corte trará uma economia de 8,5 kw/mês; Praça do Carmo, sedee da Diocese do Grande ABC, onde a economia será de 17,5 kw/mês; e Igreja Santo Antônio, com economia de 5 kw/mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.