São 49 as mortes investigadas sob suspeita de extermínio

Subiu de 41 para 49 o número de mortes investigadas pela Ouvidoria das policias de São Paulo sob a suspeita de terem sido cometidas por grupos de extermínio, durante a guerra contra o Primeiro Comando da Capital.A informação foi dada nesta quinta pelo ouvidor Antonio Funari Filho e diz respeito ao período compreendido entre a sexta-feira, início dos ataques, e o dia 21 de maio. O número cresceu de terça para quarta-feira."O alto número de homicídios indica a ação de um ou talvez mais grupos de extermínio. É provável que haja mais de um porque as mortes foram registradas em locais bem diferentes", disse Funari. As oito mortes conhecidas pela Ouvidoria, de terça para quarta, dizem respeito a quatro ações, com duas vítimas em cada uma delas, registradas na Grande São Paulo e na capital."E o número real de vítimas deve ser maior", afirmou o ouvidor. Segundo ele, apenas na cidade de Guarulhos a Ouvidoria investiga dois ou três casos de desaparecimento. "A Ouvidoria trabalha com base nas denúncias que recebe e nas informações publicadas na imprensa. É importante que as pessoas nos comuniquem dos fatos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.