São Clemente sobe com enredo sobre 'choque de ordem' no Rio

Escola, que teve apenas uma nota abaixo de 10, exaltou programa da administração do prefeito Eduardo Paes

Bruno Boghossian e Alexandre Rodrigues, de O Estado de S.Paulo,

16 de fevereiro de 2010 | 18h55

Ala da São Clemente representa prefeito, subprefeitos e secretários do Rio como 'xerifes legais'

 

 

RIO - Com um enredo chapa-branca sobre a Operação Choque de Ordem, marca da administração do prefeito Eduardo Paes (PMDB) cujo objetivo é combater a desordem no Rio de Janeiro, a São Clemente conquistou o título do Grupo de Acesso e voltará a desfilar no Grupo Especial do carnaval carioca em 2011. O total de 270 pontos permitiu que a São Clemente desbancasse escolas como Inocentes de Belford Roxo, que ficou em segundo lugar, e Estácio de Sá, que terminou em terceiro. A Unidos de Padre Miguel e a Paraíso do Tuiuti foram rebaixadas para o Grupo B.

 

Veja Também

linkApós 15 anos, Rosas de Ouro é a campeã em SP 

blog Acompanhe o carnaval pelo País no blog

especialCobertura completa da folia na página especial

 

A São Clemente recebeu apenas uma nota abaixo de 10 - um 9,7 no quesito mestre-sala e porta-bandeira. A nota foi descartada, uma vez que o regulamento exclui a pontuação mais baixa de cada quesito. O entusiasmo dos jurados não foi o mesmo das arquibancadas do Sambódromo, que reagiu com frieza à entrada da escola com uma comissão de frente formada por guardas municipais estilizados que batiam cassetetes em escudos de aço contra um apavorado trio formado por arlequim, pierrô e colombina. O desfile contrastou com o anterior, da Caprichosos de Pilares, que havia reeditado o enredo "E por falar em saudade", de 1985, recheado de críticas políticas e sociais.

 

Embora o Choque de Ordem ainda não possa ser descrito como um sucesso, a escola de Botafogo, na zona sul, optou pela exaltação da operação. Havia uma ala representando prefeito, subprefeitos e secretários como "xerifes legais". Uma outra chamava a atenção com meninos de rua trazendo latas de cola e cobertores nas mãos. Na sinopse do enredo distribuída ao público, a ala era definida assim: "Um dos focos principais da política da prefeitura, meninos e meninas de rua são acolhidos e recebem o amparo amoroso desse ordenamento".

 

A escola defendeu um carnaval organizado, resgatando as festas de rua do passado e criticando aspectos como o excesso de nudez nos desfiles, mostrando até uma briga entre duas rainhas de bateria em um ringue. O secretário especial de Ordem Pública, Rodrigo Bethlem, acompanhou o desfile com a diretoria da São Clemente, a convite da escola. Os carros alegóricos representavam o trabalho da prefeitura nas areias cariocas e na limpeza urbana e criticavam crimes como o roubo de energia elétrica, conhecido como "gato".

 

A campeã do Grupo Especial do Rio será conhecida hoje, após apuração dos votos que começa às 15h, na Marquês de Sapucaí. Este ano, o número de julgadores passou de 40 para 50 - cinco para cada quesito: bateria, harmonia, mestre-sala e porta-bandeira, alegorias e adereços, samba-enredo, fantasia, enredo, conjunto, evolução e comissão de frente. As notas variam de 8 a 10, fracionadas em décimos. A maior e a menor nota de cada quesito são descartadas para formar a pontuação final.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.