São Mateus e Grande ABC terão restaurante Bom Prato

Até o final deste ano, o governo do Estado de São Paulo entregará mais três unidades do Bom Prato, restaurante popular que oferece refeições a R$ 1,00 para a população carente. Eles ficarão no bairro de São Mateus, zona leste da capital, São Bernardo do Campo e Santo André, na região metropolitana. Hoje foi inaugurada a 12ª unidade, em Itaim Paulista, na zona leste de São Paulo, com capacidade para servir 1.200 refeições diárias.Na inauguração, estiveram presentes o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), e o secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, João Carlos de Souza Meirelles. No evento, moradores pediram para que o bairro de Guaianases, também na Zona Leste, fosse beneficiado. "Não temos como levar o Bom Prato para todos os bairros da cidade, por isso estamos estimulando que as prefeituras também façam os restaurantes", disse o governador. Segundo ele, a Secretaria da Agricultura poderá colaborar, explicando como é o modelo e orientando na implantação dos restaurantes.Todas as unidades do Bom Prato são gerenciadas por entidades do terceiro setor. No caso do Bom Prato do Itaim Paulista, por exemplo, a unidade é administrada pela Associação Popular da Saúde (APS), formada por médicos em início de carreira que se reuniram para dar atendimento à população carente. O restaurante fica na Avenida Marechal Tito, número 4.120.O governo estadual dá um subsídio de R$ 1,75 por refeição para os administradores, que cobram R$ 1,00 da população por uma refeição de 1.600 calorias. As refeições são compostas por arroz, feijão, carnes, farinha de mandioca, legumes, verduras, frutas, suco e pão. O cardápio é analisado semanalmente, e elaborado por nutricionistas do Instituto de Tecnologia dos Alimentos.Durante a inauguração no Itaim Paulista, moradores da região também pediram, em faixas, mais médicos e medicamentos para os postos de saúde. "Hoje, o sistema de saúde de São Paulo integra o SUS (Sistema Único de Saúde), então os postos de saúde e unidades básicas são da prefeitura. O governo estadual repassa todo o dinheiro para a prefeitura", explicou, quando questionado sobre o atendimento à reivindicação. Segundo Alckmin, ao Estado cabe fazer e manter os hospitais. De acordo com ele, o governo estadual fez 12 novos hospitais durante a gestão de Mário Covas, e Alckmin e deverá concluir em 60 dias o hospital de Sapopemba, na Zona Leste paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.