São Paulo conquista posto de 4ª cidade mais ''cortês'' do mundo

Levantamento em 36 metrópoles analisou bons modos em situações simples, como fazer compras

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

05 de novembro de 2008 | 00h00

"Sou recebida com um sorriso no rosto em todos os lugares", diz a polonesa Camila Luszczewska, de 23 anos, há seis meses em São Paulo estudando na Fundação Getúlio Vargas. "Todo mundo procura me ajudar sempre que preciso." Tudo bem que o fato de ser uma jovem simpática e loira facilita a aproximação, mas não é só isso. A opinião de Camila sobre a hospitalidade do paulistano endossa a pesquisa feita pelo Reader?s Digest, em que São Paulo aparece como a quarta cidade mais cortês do mundo, empatada com Berlim, na Alemanha, e Zagreb, na Croácia.No topo da lista está Nova York (1ª), nos Estados Unidos, seguida por Zurique (2ª), na Suíça, e Toronto (3ª), no Canadá. Ao todo, foram analisadas 36 grandes cidades espalhadas pelo globo (veja ranking no quadro abaixo). O levantamento ficou por conta de repórteres da revista que, disfarçados, tentaram medir indicativos de bons modos da população. Eles checaram, por exemplo, se os moradores têm o hábito de ajudar a pegar objetos caídos na rua, de agradecer em situações rotineiras como nas compras, e ainda de praticar gentilezas como segurar a porta para alguém entrar no edifício. Cada uma dessas situações foi repetida cerca de 20 vezes em cada região das cidades testadas.Outra boa notícia: ao comparar o resultado deste ano com o do ano passado, São Paulo subiu uma posição no ranking. Em 2007, estava em quinto lugar. "O povo acolhedor é um dos principais trunfos para um destino turístico de sucesso", comemora Caio Luiz de Carvalho, presidente da SPTuris, empresa oficial de promoção turística e de eventos no Município, que vem investindo na formação de profissionais fundamentais no receptivo. É o caso de taxistas e guias que passam por cursos de capacitação."Também temos um trabalho com o Metrô. Nas estações, colocamos estagiários em Turismo, facilmente identificados pelas camisetas com os dizeres ?posso ajudar??", diz Aline Delmanto, gerente de Planejamento e Estratégia da SPTuris. Os resultados aparecem na prática. Há apenas 24 horas em São Paulo, o canadense Micke Stockir, de 40 anos, foi da Avenida Paulista para a Estação da Luz, de metrô. Como ele fez? "Ao pedir informações no metrô, disse em português que não sabia o idioma. Logo apareceu alguém falando inglês que me explicou como chegar lá." E foi assim também que ele conseguiu a dica de um bom restaurante para almoçar. "Em São Paulo as pessoas são mais abertas", resume a alemã Géraldine Wuorm, de 26 anos, que veio visitar o namorado brasileiro. "Na verdade, a cidade perde para Nova York só em beleza."RANKING 1.º Nova York (EUA) 2.º Zurique (Suíça) 3.º Toronto (Canadá) 4.º São Paulo (Brasil) 4.º Berlim (Alemanha) 4.º Zagreb (Croácia) 15.º Paris (França) 15.º Buenos Aires (Argentina) 15.º Londres (Inglaterra) 36.º Mumbai (Índia)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.