São Paulo e Campinas registram quatro seqüestros

Cinco integrantes de uma quadrilha de seqüestradores foram detidos, no início da noite de quarta-feira, na cidade de Campinas, interior do Estado de São Paulo, após realizarem dois seqüestros quase simultâneos. As vítimas, todas descendentes de orientais, saíram ilesas.Por volta das 15h, o aposentado Mauro Yokome, de 63 anos, e sua filha, a estudante Sabrina Satie Yokome, de 27 anos, foram rendidos pelos seqüestradores, em Vila Nogueira, quando chegavam em casa, em um Gol preto Geração IV, ano 2006. Pai e filha foram levados para a Rua Nove, no Jardim Campo Belo, e jogados em um poço desativado, de 3 metros de profundidade, localizado em um terreno ao lado de um campo de futebol, próximo à cabeceira do Aeroporto de Viracopos.Com cartões bancários das vítimas, três dos criminosos tentaram realizar saques em caixas eletrônicos, mas, como não conseguiram, resolveram abandonar o Gol e retornaram ao local do cativeiro, duas horas depois, para dar início a outro seqüestro.Com uma moto Honda CG 150 cc, pertencente ao chefe da quadrilha, os criminosos foram até o bairro de Nova Europa, onde renderam o aposentado Ciguesi Oyafuso, de 73 anos, e sua esposa, Alice Leiko Kaji, de 49 anos. O casal também chegava em casa, em um Corsa hatch prata.Marido e mulher foram levados para o mesmo poço e lá ficaram durante alguns minutos ao lado das duas primeiras vítimas. Como também não conseguiram sacar dinheiro das contas do casal de japoneses, os criminosos resolveram entrar em contato com a família de Ciguesi e Alice e exigir dinheiro para liberar as vítimas. "Quando fazíamos patrulhamento na região, fomos informados por um menino que andava de bicicleta que um senhor e uma jovem haviam sido rendidos por bandidos. A caminho do local do cativeiro, nós cruzamos com os criminosos. Eles tentavam transferir as vítimas do segundo seqüestro para outro cativeiro", relatou o tenente Edmar Pedrosa, do Tático Comando do 47º Batalhão de Policiamento do Interior.Segundo o tenente - que teve auxílio dos soldados Reginaldo, Marcos, Pessoa e Polato - o casal seria levado para uma casa em construção, localizada na Rua Dez, na altura do nº 24, próximo ao poço onde ainda estavam pai e filha.Foram detidos os menores José e Danilo, ambos de 17 anos, que vigiavam pai e filha no poço, e outros três criminosos: Douglas Teodoro da Silva, 20 anos, Ander Luiz Franca Ferreira, 18 anos, e o chefe do bando, Edmar Landin de Oliveira, de 18, com o qual os policiais apreenderam um revólver calibre 38 e porções de maconha e cocaína.Edmar, o dono da moto usada nos seqüestros, há dois anos foi preso pelo mesmo crime e encaminhado à Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor (Febem), de onde conseguiu liberdade, voltando para as ruas e dando seqüência na rotina de crimes.Douglas, Ander e Edmar foram encaminhados ao 9º Distrito Policial da cidade, indiciados por roubo com retenção de vítima, extorsão mediante seqüestro, formação de quadrilha e corrupção de menores. De lá, os criminosos foram transferidos para a carceragem do 2º Distrito e, após uma triagem, serão levados para o Centro de Detenção Provisória de Hortolândia.Capital Entre a noite de quarta-feira e a madrugada desta quinta-feira, foram registrados outros dois seqüestros, ambos na cidade de São Paulo. Uma jovem de 26 anos foi solta por volta da 1h30 de um cativeiro montado em uma casa na altura do nº 45 da Rua Amaro Bernardo da Silva, no Rio Bonito, zona sul. A vítima - filha de um comerciante do ramo de autopeças - havia sido seqüestrada no último dia 7. Policiais da Delegacia Anti-Seqüestro (DAS) chegaram até o cativeiro após flagrarem um dos criminosos ligando para a família da jovem, de um orelhão, no bairro de Caucaia do Alto, em Cotia, na Grande São Paulo. O seqüestrador levou então os investigadores até o cativeiro, mas lá só encontraram a jovem seqüestrada. Os demais bandidos conseguiram escapar.Na noite de quarta, na região de Vila Leopoldina, zona oeste da capital paulista, policiais militares da 2ª Companhia do 4º Batalhão encontraram um carro abandonado que havia sido usado para a liberação de uma mulher também vítima de seqüestro. Segundo a polícia, os criminosos conseguiram receber o valor do resgate de parentes dela, liberando-a e abandonando o veículo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.