São Paulo ganha estátua de seu santo padroeiro

Demorou 453 anos para a cidade ganhar uma estátua em homenagem a seu santo padroeiro, o apóstolo São Paulo. Feita em bronze, pesando 4 toneladas e com 3,60 metros de altura, a obra foi inaugurada, nesta segunda-feira, 9, na Praça Vinicius de Moraes, no Morumbi, zona sul. O prefeito Gilberto Kassab tirou do papel um projeto engavetado desde 1964, de autoria do artista plástico italiano Galileo Emendabili (1889-1974), encomendado pelo então governador Adhemar de Barros. "Logo veio o golpe militar e esqueceram da estátua ", disse Fiammetta Emendabilli, de 72 anos, filha do artista, durante a inauguração, acompanhada de Kassab e de Andrea Matarazzo, secretário de Coordenação das Subprefeituras. Formado pela Academia Real de Belas Artes de Urbino, na Itália, Galileo chegou a São Paulo, em 1923, aos 25 anos, tornando-se amigo de paulistanos influentes como Ciccillo Matarazzo, industrial e mecenas. Galileo deixou seis obras públicas na capital, entre elas o Obelisco do Ibirapuera, na zona sul. A estátua do apóstolo, segundo o projeto original, teria 105 metros de altura e seria instalada no Pico do Jaraguá, o ponto mais alto da cidade, na zona oeste. Hoje, estaria para São Paulo como o Cristo, para o Rio. Mas será que ganharia como uma das sete novas maravilhas do mundo moderno?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.