São Paulo quer liberar 10 mil presos no Dia dos Pais; Justiça decide

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (SAP) confirmou nesta terça-feira, 8, o pedido para que entre 10 mil e 11 mil detentos deixem os presídios em São Paulo para passar o dia dos pais em casa. Esse número, menos de 10% do total de presos que estão no sistema carcerário paulista, é baseado no número de detentos beneficiados no ano passado, pois o número exato só será conhecido pela secretaria no decorrer da semana. Se aprovada pela Justiça paulista, a saída dos detentos acontecerá na quinta-feira, 10, a partir das 7h30. Os beneficiados devem retornar na segunda-feira, 14, ou na terça, 15, até as 18 horas, dependendo de cada caso. Quem não voltar dentro do prazo será considerado fugitivo. O Departamento de Execuções Criminais e Corregedoria dos Presídios da Capital de São Paulo (Decrim) recebeu, em 21 de julho, uma lista de 942 presos do regime semi-aberto da cidade de São Paulo pedindo a liberação.Apesar da vontade do Ministério Público no sentido de que os juízes não autorizem a saída dos detentos, o benefício deverá ser concedido. A lei prevê que, para ter direito à saída, o preso precisa estar cumprindo pena em um presídio de regime semi-aberto, ter bom comportamento e já ter cumprido um sexto da pena, se for primário, e um quarto, em caso de reincidência.Segundo a SAP, no Dia das Mães deste ano, foram beneficiados 12.645 detentos, dos quais 965 não retornaram (7,63%). Na Páscoa, o benefício se estendeu a 12.268 presos, sendo que 809 (6,59%) não retornaram. No Dia dos Pais de 2005, 11.087 presos foram indultados e 808 não retornaram, um índice de7,29%.Entre os motivos para a retomada dos ataques atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) no Estado de São Paulo, na madrugada de segunda-feira, 7, há a suspeita de ela seja uma retaliação às ações do Ministério Público Estadual (MPE), que interrogou o assaltante Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola na sexta-feira passada, reivindicou à Justiça o seqüestro de dinheiro da facção, e se manifestou contrário à saída temporária dos detentos para a comemoração do Dia dos Pais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.