Gil Tozzati Fernandes/ MetSul
Gil Tozzati Fernandes/ MetSul

São Paulo vai registrar recorde de frio nos próximos dias, mas sem chance de nevar

Segundo a MetSul, simulação sugeriu a probabilidade de o fenômeno acontecer no sul paulista, no entanto, projeções indicam agora a possibilidade de isso ocorrer apenas no sul do Brasil

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2020 | 13h21

SÃO PAULO - Muitas pessoas estão se perguntando se há chance de nevar em São Paulo nos próximos dias. A resposta é não, segundo informações da Climatempo e da MetSul Meteorologia. Apesar da massa de ar frio de origem polar muito intensa que avança praticamente por metade do território brasileiro e grande parte da América do Sul (Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Peru) nesta semana, com a expectativa de que essa seja a onda de frio mais forte do ano, a possibilidade de nevar ficará restrita ao sul do Brasil.

Frio, mas sem neve em SP

"O fenômeno não seria inédito (em São Paulo), afinal os paulistas já viram neve. Campos do Jordão registrou neve em 1892, 1897, 1928 e 1947. Só que desta vez não vai nevar", informou a MetSul nesta terça-feira, 18.

De acordo com informações divulgadas pelo instituto de meteorologia na segunda-feira, as "projeções de neve são diferentes" e variam bastante. Os modelos nos últimos dias indicavam neve no Uruguai, perto da cidade de Buenos Aires e nas províncias argentinas de Santa Fé e Entre Rios, na maior parte do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e até no sul do Estado de São Paulo. Diante deste cenário, "reiteramos que a probabilidade de neve é altíssima, mas que não se pode fazer responsavelmente projeções precisas de quantidade e localização do fenômeno." Nas rodadas seguintes não se mantiveram as mesmas tendências.

Nesta terça-feira, a MetSul afirmou que "a chance de nevar se limita ao Sul do Brasil" e não alcançará São Paulo, que deverá, no entanto, ter recorde de temperaturas baixas, com o dia mais frio na sexta-feira, 21, na capital paulista e em parte do interior do Estado de São Paulo.

Em algumas cidades do sul paulista próximas do Paraná, o termômetro deverá ficar abaixo de 10°, enquanto que o norte do Estado paulista deverá ter temperatura mais alta. "O que o sul paulista poderia ter, considerando chuva com 7°C a 8°C, poderia ser chuva congelada e mesmo assim a probabilidade não é alta", disse a MetSul.

Em relação às temperaturas no estado, "durante a passagem da onda de frio poderemos ter de 3°C a 5°C no oeste e sul do estado. A geada não está descartada no sul e no oeste do estado paulista. É possível que haja correções no decorrer da semana, conforme o ar frio intenso vai entrando no estado. Maiores temperatura no estado essa semana ficam no norte e noroeste do estado ainda podendo chegar aos 36°C na quarta-feira, 19, à tarde", completou a Climatempo. No litoral paulista, as temperaturas devem oscilar entre 7°C e 10°C.

Na capital paulista, até segunda-feira, de acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a menor temperatura foi de 9,6°C, no dia 29 de maio. Segundo a Climatempo, a menor temperatura máxima foi de 15,9°C, no dia 15 de julho. "A previsão da Climatempo indica que os dois recordes de frio poderão ser batidos" durante a passagem da forte onda de frio no fim de semana, mas sem possibilidade de nevar.

Frio em diversos Estados brasileiros

Ainda segundo a Climatempo, a queda da temperatura será sentida, principalmente, entre quarta-feira e o fim de semana em boa parte do País. "Temperaturas abaixo de 0°C devem ocorrer nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, sul de Minas Gerais e nas áreas de grande altitude do sul do Rio de Janeiro." O frio será mais intenso na maioria das áreas do sudeste e do centro-oeste, além do sul e sudoeste da região norte do Brasil.

"O vento frio desta enorme massa polar deve ser suavizar o calor até no extremo sul do Pará e do Tocantins", afirma a Climatempo.

Em Cuiabá, no Mato Grosso, o termômetro poderá passar de 40ºC até quarta-feira, com queda drástica de temperatura até o fim de semana, quando a cidade vai registrar 10ºC.

Neve no sul do País

"Alguma precipitação de inverno poderá ocorrer em áreas do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná, mas não há condições para nevar nas regiões metropolitanas de Porto Alegre, Florianópolis e nem de Curitiba", afirma a Climatempo.

Na noite de quinta-feira, há chance nevar nas áreas de serra do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Na sexta-feira, há possibilidade de nevar nas áreas de serra a planalto do Rio Grande do Sul, serra, planalto sul e planalto norte de Santa Catarina e na região serrana do sul do Paraná. Na sexta-feira, a queda da neve pode atingir Caxias do Sul, Gramado e Canela.

Conforme a Climatempo, nevar em agosto no Brasil não é tão incomum. "Há diversos casos de neve no sul do Brasil documentados em agosto e o mais recente foi em agosto de 2018. Agosto de 2016 também deu neve no sul, mas a maior lembrança recente de neve em agosto é do inesquecível inverno de 2013", quando a neve caiu de forma generalizada sobre o sul brasileiro. Naquele inverno, nevou em muitas áreas dos três estados, inclusive na Grande Florianópolis e em Curitiba, onde a neve havia nevado pela última vez em 1975.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.