São Paulo tem o novembro mais chuvoso dos últimos 12 anos

São Paulo registrou o mês de novembro mais chuvoso dos últimos 12 anos, segundo informações do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura. Durante o mês choveu 216,8 mm na cidade, 48% a mais do que a média esperada, que era de 146 mm. As chuvas da madrugada e da manhã desta quinta-feira registraram 7,2 mm na capital até às 7 horas.De acordo com a previsão do tempo da Rádio Eldorado AM, a cidade vai ter céu nublado com possibilidade de chuva a qualquer hora do dia, mas sem risco de novos temporais. A temperatura chega aos 26 graus na capital; no litoral a máxima prevista é de 27, e na região de Presidente Prudente aos 32 graus.A partir de sexta-feira as nuvens e a chuva diminuem e o sol volta à cidade. A previsão é de sol no fim de semana, com algumas pancadas de chuva durante a tarde nas regiões centro-oeste e norte do Estado de São Paulo. Já a capital, fica livre de chuva no fim de semana.TrânsitoNa madrugada desta quinta-feira a cidade registrou fortes chuvas, principalmente nas regiões oeste e sul, o que fez com que o trânsito ficasse lento no início da manhã. A CET registrou 164 quilômetros de congestionamento às nove horas, índice três vezes acima da média para o horário, que é de 51 quilômetros. A partir das dez horas, o trânsito começou a diminuir na capital.O CGE registrava 22 pontos de alagamento na capital, sendo três deles intransitáveis: na Avenida Roque Petroni Júnior com a Rua Jaceru; no Largo Los Andes, próximo a Roque Petroni; e um no cruzamento da Avenida das Nações Unidas com a Octalles Marcondes Ferreira. O estado de atenção na cidade por causa da chuva foi suspenso pelo CGE no final da manhã.Na Grande São Paulo, o município de Osasco foi um dos mais atingidos pelo temporal. Por volta das 4 horas uma forte chuva atingiu a cidade, causou o transbordamento do Córrego Ribeirão Vermelho que alagou diversas ruas e deixou moradores do Jardim Rochedale ilhados. O maior foco de água concentrou-se no começo da Avenida Brasil. A altura da água chegou a 1,5 m. Mesmo as casas que tinham comportas não agüentaram a força da enxurrada. Segundo a Defesa Civil de Osasco, a chuva parou às 8 horas. Não houve registro de feridos e nem desabrigados. Estragos e mortesEntre quarta e quinta-feira, além dos estragos, a chuva também causou três mortes no Rio de Janeiro e Minas Gerais e deixou pessoas desabrigadas. Na manhã desta quinta-feira, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, um adolescente de 14 anos morreu após o desabamento de uma residência no Bairro General Caneiro, em Sabará. No Rio de Janeiros, os fortes temporais desde segunda-feira causaram estragos em algumas regiões do Estado e deixaram dois mortos. Em Nova Iguaçu, duas pessoas morreram afogadas: uma criança de 3 anos foi vítima de uma enxurrada que invadiu a creche e o corpo de um jovem de 17 anos foi encontrado em um rio. As áreas mais afetadas são Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e Teresópolis, na região serrana. A prefeitura continua o trabalho de limpeza das ruas. Algumas famílias foram levadas para abrigos improvisados em colégios da região. Ao todo, já são mais de 200 pessoas desalojadas e mais de 60 desabrigadas.O Estado de São Paulo também teve uma quarta-feira chuvosa, quando vários incidentes foram registrados no interior e na capital. Em São José dos Campos, um ônibus foi arrastado pela correnteza quando o asfalto da avenida por onde ele transitava cedeu, na noite de terça-feira. Cerca de 40 passageiros do coletivo tiveram de pular pelas janelas para não serem levados pela água.Em Ribeirão Preto, também no interior do Estado, a chuva causou transtornos e alagamentos. Na região central da cidade, algumas tampas de bueiros se soltaram com a pressão da água. Também foi registrada falta de energia elétrica no centro do município.A Rodovia Presidente Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, foi interditada no quilômetro 150 por conta das chuvas desta quarta. O trânsito foi desviado às marginais da rodovia, causando dez quilômetros de congestionamento.Esta matéria foi atualizada às 14h27 para acréscimo de informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.