São Paulo terá mais 70 lombadas eletrônicas

O número de multas aplicadas pelas lombadas eletrônicas nas ruas de São Paulo deverá triplicar a partir de janeiro de 2003. O crescimento das autuações deve-se à instalação, a partir de setembro, de 70 equipamentos pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Todos precisam estar funcionando até o fim do ano. Segundo estimativas da empresa, as infrações registradas por esse tipo de controlador de velocidade devem subir de uma média de 8 mil por mês para cerca de 24 mil por mês. Com isso, a Prefeitura pode arrecadar aproximadamente R$ 24 milhões a mais por ano.Hoje, existem 30 aparelhos funcionando na cidade. O aumento vai ocorrer porque a CET concluiu este ano a licitação dos equipamentos e estipulou o número no novo contrato. Um consórcio formado pela Consladel, de São Paulo, e pela Perkons Equipamentos Eletrônicos, com sede no Paraná, ganhou a concorrência.Quatro aparelhos novos começam a funcionar na primeira quinzena de setembro na Estrada do Lajeado Velho, 533, Avenida do Oratório, 6.500 e Avenida Nordestina com Rua Cláudio da Costa na zona leste, e na Avenida Senador Teotônio Vilela, perto da Rua Transamazônica, na sul. Outros 58 pontos também já foram definidos. "Esperamos uma redução imediata de 60% a 70% dos acidentes em janeiro", diz o assessor de Segurança da CET, Mauricio Regio.Segundo ele, passado o impacto inicial, o número de multas das lombadas eletrônicas deve ficar em 20 mil por mês. Ao mesmo tempo, o número de acidentes com mortes tende a cair a quase zero.Para chegar à lista final, foram analisadas mais de 500 sugestões feitas por técnicos da empresa e pela população. "A lombada é um dos poucos instrumentos que a comunidade vê com bons olhos", afirma Regio. Os engenheiros da CET verificaram se nos lugares apontados ocorriam colisões leves, graves e fatais e se havia atropelamentos. Depois, observaram a proximidade de pontos de grande fluxo de pedestres, como escolas e hospitais. Os pontos mais críticos identificados ficam nas regiões da periferia da capital paulista.Antes de começar a pôr os aparelhos, a empresa pede autorização da subprefeitura responsável pela área. Depois, pendura faixas de pano com o objetivo de alertar os moradores e fazer com que eles se acostumem com o novo tipo de fiscalização. Os técnicos colocam ainda placas indicando a nova velocidade máxima permitida no ponto onde ficará o equipamento - geralmente de 40 quilômetros por hora - e também sinalizam a via para avisar sobre a existência de fiscalização eletrônica. Só depois disso os controladores são instalados.De acordo com Regio, a maior parte das infrações flagradas pelas lombadas eletrônicas é considerada grave pelo Código de Trânsito Brasileiro e soma cinco pontos no prontuário do motorista e multa no valor de R$ 127,90. O tamanho dos aparelhos e a presença do mostrador digital de velocidade, no alto dos totens, chamam a atenção do motorista, reduzindo a ocorrência de infrações gravíssimas.As 30 lombadas eletrônicas existentes serão trocadas pelos modelos novos, que usam tecnologia mais moderna. Os controladores foram projetados para resistirem melhor a tentativas de vandalismo. "Os novos sensores de veículos também permitem identificar carros, ônibus, motos e caminhões", afirma o diretor comercial da Perkons, José Mário Fonseca de Andrade.Locais que terão lombada eletrônica:Av. 4.º Centenário, perto da Rua LeiriaAv. Afonso Sampaio e Souza, 3.000Av. Águia de Haia, perto da Rua Nelson TartuceAv. Angelo Cristianini, 1.800Rua Antônio Bezerra com Rua Nossa Senhora da SaúdeRua Antônio Maria Laet, perto da Rua São NestorRua Apinagés, perto da Rua Dr. Paulo VieiraRua Augusto Carlos Bauman, perto da Rua Álvaro de MendonçaRua Aurélia, 1.820/2100Av. Belmira Marin, perto da Rua ClarissaAv. Campanella, 1.700Av. Cândido Portinari com Praça General GuimarãesAv. Cangaíba com Praça Dorival Rodrigues AlvesAv. Cantídio Sampaio, perto da Rua J. Gervásio de SouzaRua Cerro Corá, 2.400Av. Comendador Santana, perto da Rua Francesco TalentiAv. Conceição, perto da Rua BeneditaAv. Cons. Moreira de Barros, perto da Rua Manuel de SantanaAv. Damásio Pinto, perto da Rua Dr. Jairo FrancoAv. Dep. Emílio Carlos, 2.200Rua Dom Villares, sob Complexo Maria MalufAv. Dr. Arnaldo com Rua Heitor PenteadoRua Dr. César, entre 1.100 e 1.300Rua Dr. Zuquim, perto da Rua Capitão RabeloAv. Edu Chaves, perto da Rua Basílio Alves MorangoAv. Eng. Alberto de Zagotis, perto da Rua Salim Antônio CuriatiRua Eng. Ranulfo Pinheiro de Lima, perto da Rua PeaçabaAv. Fonseca Rodrigues, perto do Parque Villa-LobosRua Francisco Rebelo, perto da Rua São ProcópioRua Francisco Tomás de Carvalho, perto da Rua Ernest RenanAv. General Ataliba Leonel, 3.918Rua Gentil de Moura, 50 metros antes da Rua BaraúnaAv. Gustavo Adolfo, perto da Rua CaprichoAv. Imirim, 3.700 e 4.100Av. Jardim Japão, perto da Rua Carlos dos SantosRua José Rufino Freire, 300Rua Leôncio de Magalhães, perto das Ruas João Sobrinho e MiranteAv. Líder, perto da Rua Dias CoelhoRua Maestro Cardim, perto da Rua Raul CamiloAv. Maria Amália L. Azevedo, perto da Rua Ana Rosa O. RossiAv. Maria Coelho Aguiar, perto da Rua Joaquim EspinosaAv. Montemagno, perto da Rua FábioAv. Nordestina com Rua Cláudio da CostaAv. Olívia Guedes Penteado, perto da Rua MendelAv. do Oratório, 6.500Rua do Oratório, 2.847Av. Pedro Bueno, perto da Rua Antônio PepeAv. Peri Roncheti, altura da Rua Sen. Lameira BittencourtAv. Pres. Altino, perto da Rua São FidélisAv. Raimundo Pereira de Magalhães, 18.000Av. Raimundo Pereira de Magalhães, perto da Rua Pedro ManglianiRua Ribeiro Lacerda, perto da Rua Francisca da CostaAv. Rio Bonito, perto da Rua Ângelo SantiRua Sabóia de Medeiros, perto da Rua Dr. Afrodísio VidigalAv. Sezefredo Fagundes, perto das Ruas Bonita e Fabrício CorreiaAv. Teotônio Vilella, perto da Rua TransamazônicaRua Tito, perto da Rua MauricíniaRua Vergueiro, perto da Rua Américo SamaroneRua Voluntários da Pátria, 4.700Estrada do Alvarenga, perto da Praça Alex Francisco RebouçasEstrada do Lajeado Velho, 533Viaduto Armando Puglisi, sentido bairro-centro

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.