São Paulo teve a madrugada mais fria do ano com 6,2 graus

A madrugada desta quarta-feira, 6, foi a mais fria do ano em muitas cidades do Estado de São Paulo, inclusive na capital. De acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura chegou a 6,2 graus no Mirante de Santana, na zona norte da cidade. A madrugada mais fria, até então, havia ocorrido em 22 de agosto, quando os termômetros marcaram 7,7 graus.Outras regiões do Estado também registraram temperaturas muito baixas. Em Guarulhos, foram registrados 6 graus e em Campos do Jordão, apenas 1,8 grau. A região de Taubaté amanheceu com 4 graus. Em Araraquara, os termômetros registraram apenas 5 graus. Em Santos, foram registrados 10 graus e nas regiões de São José do Rio Preto e Ribeirão Preto, apenas 7 graus. Em Campinas, a temperatura atingiu 7,7 graus, inferior à mínima do dia 4 de maio, que registrou 7,9 graus.Nesta quarta, apesar da presença do sol que predomina durante o dia, a temperatura não deve subir muito. Na capital, a máxima deve alcançar os 19 graus. Mas, a partir desta quinta-feira, 7, o ar frio polar intenso se afasta de São Paulo e a temperatura volta a subir chegando aos 24 graus na capital. As madrugadas, porém, ainda serão frias, de acordo com o meteorologista Franco Vilela, do Inmet.De acordo com Vilela, apesar de as temperaturas começarem a subir nesta quinta, a sensação de calor só deve acontecer mesmo a partir da sexta-feira e no fim de semana, quando os termômetros devem alcançar o 27 graus com a volta do predomínio do sol em todo o Estado.Segundo o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri/Unicamp), o mês de setembro é até agora o mais frio em São Paulo desde 1988, com média das mínimas igual a 12,7 graus contra uma média normal de 15,6 graus, e máximas igual de 26,6 graus, contra média normal de 33,9 graus.Queima pode ser suspensaA umidade do ar em Ribeirão Preto atingiu 100% na madrugada, mas deve recuar abaixo dos 30%, a exemplo desta terça-feira, 5, quando chegou a 28% às 17 horas. A Secretaria do Meio Ambiente alerta que segue monitorando as condições climáticas e pode determinar a suspensão da queima da palha da cana-de-açúcar para a colheita caso a umidade do ar permaneça abaixo dos 30%.(Colaborou Gustavo Porto)Matéria ampliada às 10h50

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.