São Paulo teve o janeiro mais quente desde 1999

Janeiro foi bem quente e teve mais chuva do que o normal na capital paulista. A média das máximas, com 29,8 graus, foi a maior desde 1998, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Naquele ano e em 1999, a média das máximas foi de 30,8 graus. A média/máxima anterior, 30,9 graus, é recorde e ocorreu em 1956. A média das mínimas do mês foi de 20 graus e choveu 348 milímetros na estação do Mirante de Santana, na zona norte da capital. Desse volume, a maior parte foi despejada na primeira semana, quando o instituto coletou 222,6 milímetros.Em janeiro, a média histórica das mínimas é de 18,5 graus e, das máximas, de 27,6 graus, com volume de chuva de 253,9 milímetros. Nesse mês, as madrugadas também foram abafadas, com média das mínimas de 19,7 graus. Já as tardes tiveram temperaturas mais normais e registraram média de 27,3 graus . O índice de chuva também ficou acima do padrão, com 312,1 milímetros.A frente fria que se desloca por alto-mar ainda deixa o tempo nublado nesta quarta-feira, com possibilidade de chuva pela manhã só no litoral norte e no Vale do Paraíba. Nas outras áreas, incluindo a região metropolitana, a previsão da empresa Climatempo é de um dia típico de verão. O sol predomina e faz calor de até 28 graus à tarde, quando ocorrem pancadas de chuva e trovoadas, que se estendem pela noite. Há risco de temporal em todo o Estado.Os dias seguem com sol e temperaturas em elevação em todas as regiões paulistas até o fim de semana, sempre com aumento de nuvens e pancadas de chuva a partir da tarde.Nesta terça, a máxima foi de 17 e mínima de 26,1 graus, com 23,1 milímetros de chuva e 69% de umidade relativa do ar às 16 horas no Inmet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.