São Paulo viveu outra vez o drama da chuva forte

Carros amontoados e submersos, pessoas ilhadas em cima de ônibus e de carrocerias de caminhões, vítimas da chuva improvisando pontes de madeira para tentar escapar das águas. A tempestade que caiu nesta quarta-feira à tarde - com mais força na zona leste - causou 38 pontos de alagamento na capital. Apesar de ter durado poucas horas, fez o Córrego Aricanduva transbordar e transformou o fim da Quarta-feira de Cinzas de centenas de pessoas num drama.Também houve pontos de alagamento e quedas de árvores e muros em outras áreas da capital. Às 19 horas, todas as regiões, com exceção da norte, estavam em estado de atenção e registravam pontos de alagamento e quedas de árvore.A Avenida Aricanduva ficou totalmente intransitável por pelo menos 500 metros de extensão, às 18 horas. Pegos de surpresa, os motoristas abandonaram seus carros com os faróis ainda acesos.Bombeiros tiveram de caminhar com água no peito para salvar quem ficou ilhado no meio da água, do lixo e do barro. O helicóptero Águia, da Polícia Militar, ajudou ajudar nos resgates.Patrícia Filomena Daniela, de 30 anos, e Wilson Aguiar Gutierrez, de 27, voltavam do carnaval em São João da Boa Vista quando foram surpreendidos pela correnteza. "Vimos um motoqueiro avisando que estava enchendo, mas quando notamos a água já estava na minha cintura", disse Patrícia.Os dois e suas filhas, Brenda e Daine, tiveram de sair do carro pelo vidro. Patrícia e as meninas conseguiram abrigo na boléia de um caminhão, onde ficaram até a chuva passar. Gutierrez resolveu sentar-se sobre o carro, para impedir que o veículo flutuasse e fosse levado pela correnteza. Às 21h30, a família ainda estava presa no local.A queda de uma árvore sobre a fiação da Eletropaulo, na altura do 1.400 da Aricanduva, afetou o fornecimento de energia elétrica. Às 19h30, estavam sem luz moradores e comerciantes de trechos das Avenidas Aricanduva e Mendonça Drummond e das Ruas Joaquim Marra e Waldemar Carlos Pereira.Entre a Radial Leste e o Shopping Center Aricanduva o trânsito ficou interditado nos dois sentidos por várias horas. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), também ficou impossível trafegar em pelo menos três trechos da Radial.A chuva ainda invadiu casas e lojas da região e deixou intransitáveis outros pontos da cidade, incluindo imediações da Ponte da Cidade Universitária, no Butantã, trechos da Avenida Cruzeiro do Sul e faixas da Avenida Paulista, da Avenida Rebouças e da Antônio Joaquim de Moura Andrade.As Marginais do Tietê e do Pinheiros voltaram a ter problemas. No sentido Ayrton Senna, houve lentidão às 19h30 entre as Pontes do Piqueri e da Vila Guilherme e da Ponte Anhangüera até a Portuguesa. No sentido Castelo Branco, o trânsito ficou ruim entre as Pontes do Limão e da Freguesia do Ó.Na Marginal Pinheiros, os maiores problemas foram no sentido Castelo Branco, sob a Ponte João Dias, e da Ponte Ary Torres até a Avenida Eusébio Matoso.A chuva forte ainda deixou sem luz partes dos bairros de Vila Madalena, Jaguaré e Rio Pequeno e derrubou várias árvores. Uma delas caiu na Rua José Isaías de Paulo, em Campo Limpo, zona sul, atingindo parte de uma casa. No mesmo bairro, na Rua Maria José de Souza, um muro caiu. Já na Avenida Doutor Arnaldo, na zona oeste, uma árvore despencou em cima de um carro.Apesar da chuva, às 19 horas, havia apenas 58 quilômetros de lentidão por causa do feriado. Choveu forte também em Arujá, Santa Isabel e Osasco, na Grande São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.