Sargento diz que secretário intercedeu em favor de traficante

O sargento da PM Carlos Henrique Gomes Sátiro confirmou hoje que o secretário Estadual de Esportes, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, esteve na Favela Vila Cruzeiro para interceder em favor do comerciante Mauro Coroa, que era investigado por tráfico. O episódio teria ocorrido em 1990 ou 1991. Segundo o policial, Chiquinho foi procurá-lo no Destacamento de Policiamento Ostensivo da Vila Cruzeiro, onde Sátiro era o comandante e disse: "Meu nome é Francisco, moro na Mangueira e tenho amigos na Vila Cruzeiro. Sou amigo do Mauro Coroa há algum tempo. Gostaria de saber o que ele fez porque ele é gente boa". Sátiro disse que naquele momento não sabia de quem se tratava, só anos depois reconheceu Chiquinho por meio de fotos em jornais. O secretário foi acusado em janeiro pelo tenente-coronel Erir Ribeiro por ter pedido trégua nas operações policiais no Morro da Mangueira. Sátiro disse que, quando foi procurado pelo secretário na Vila Cruzeiro, não deu importância ao fato, mas decidiu contar o que houve depois do que ocorreu na Mangueira. Ele presta depoimento na Comissão de Segurança Pública da Alerj.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.