Sargento do Corpo de Bombeiros é preso após manter esposa refém durante 15 dias no Rio

Segundo a vítima, o sargento a fotografava após as agressões de tortura e estupro

11 de maio de 2012 | 11h55

São Paulo, 11 - Um sargento do Corpo de Bombeiros foi preso, na última quinta-feira, 10, em Campo Grande, zona sul do Rio, após manter a própria mulher, de 24 anos, em cárcere privado por 15 dias. Segundo informações da Polícia Civil do Rio, familiares da vítima denunciaram o agente militar.

De acordo com o delegado titular do 35º Distrito Policial, onde o caso foi registrado, Marcos Drucker, afirma que a polícia foi comunicada pelos familiares da jovem refém sobre o sequestro. Os policias, segundo informações da assessoria da Polícia Civil, receberam ordens para invadir o imóvel onde o cárcere estaria sendo feito.

No local, os agentes encontraram a vítima que, em depoimento, informou que estava sendo mantida presa, torturada e estuprada pelo marido, sargento do Corpo de Bombeiros. O delegado titular solicitou perícia técnica para o imóvel. Segundo depoimento da jovem, após as agressões, o homem a fotografava e arquivava as imagens em seu computador. A polícia apreendeu o computador e a máquina fotográfica e encaminhou os equipamentos para exame de corpo de delito.

O Comandante do Corpo de Bombeiros foi comunicado e apresentou o acusado na delegacia. O suspeito negou as acusações, segundo a Polícia Civil, dizendo se tratar de briga de casal. O homem, que não foi identificado pela assessoria da polícia, foi autuado nos crimes de constrangimento ilegal, sequestro ou cárcere privado, lesão corporal, estupro de vulnerável e tortura na forma da Lei Maria da Penha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.