Sarney passa por procedimento para corrigir arritmia cardíaca

Intervenção, tida como não invasiva, foi realizada no Hospital Sírio-Libanês; presidente do Senado recebe visitas

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2010 | 00h00

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), passa bem após procedimento médico feito na tarde de anteontem no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para corrigir a arritmia cardíaca. Na intervenção, sem cortes - tida como não invasiva, ao contrário de uma cirurgia -, um choque é dado por meio de um cateter no coração do paciente para fazê-lo voltar aos batimentos normais.

O procedimento é indicado para quem tem arritmia, como é o caso do peemedebista.

De acordo com sua assessoria, Sarney está bem, com os batimentos normais, e tem recebido visitas de vários políticos importantes do cenário nacional, como o candidato a vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff (PT) e presidente do seu partido, deputado Michel Temer, o senador Agripino Maia (DEM-RN) e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).

Ainda não há previsão de alta. Ontem, o hospital deveria divulgar um boletim médico sobre o estado de saúde do paciente, mas não o fez.

O presidente do Senado foi internado há dez dias em São Luís, com um quadro de arritmia cardíaca e esofagite. Sarney chegou ao hospital em cadeira de rodas, acompanhado pela filha, a governadora reeleita do Maranhão, Roseana Sarney, e pelo filho, o deputado Zequinha Sarney (PV-MA).

A arritmia foi detectada pelos médicos no dia 2 deste mês em São Luís e ele foi transferido para o Sírio-Libanês para exames, mas acabou ficando internado. Em março, o político havia feito uma operação para tirar um tumor benigno do lábio no Sírio-Libanês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.