SC tem uma vítima e 18 cidades em emergência pelas chuvas

Homem de 30 anos atravessava uma ponte alagada e foi levado pela correnteza em Campo Belo do Sul

Solange Spigliatti, Central de Notícias,

29 de setembro de 2009 | 10h33

As chuvas que atingiram o Sul do País no fim de semana provocaram a morte de uma pessoa em Santa Catarina, onde 18 cidades decretaram situação de emergência. A Defesa Civil confirmou na manhã desta terça-feira, 29, em Campo Belo do Sul, a morte de Clóvis Roberto Belin, de 30 anos, que tentava cruzar de carro uma ponte alagada quando foi arrastado pela correnteza.

 

Veja também:

link Quase 130 mil são afetados por chuvas na região Sul

link Previsão é de mais ventania no Sul e Sudeste do País

A Defesa Civil catarinense informou que 60 municípios foram atingidos pelas chuvas, 3,4 mil pessoas estão desabrigadas e 2,7 mil, desalojadas. Conforme o órgão, a principal preocupação agora são deslizamentos de terras por causa do solo encharcado.

 

Previsão é de menos chuva

 

A partir desta terça, a previsão é de redução nas chuvas, segundo o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia. No entanto, a nebulosidade e chuva fraca devem permanecer na maior parte das regiões do Estado. Na quarta-feira, 30, as chuvas também devem ser mais fracas.

 

O mês de setembro, influenciado pelo fenômeno El Niño, teve chuvas em volume recorde em vários municípios. Em Campos Novos, o volume chegou a 488 milímetros, para uma média mensal de 194 mm. Em São Joaquim, foram 442 milímetros, ante uma precipitação habitual de 164 mm.

 

Em algumas cidades, o recorde de chuva no período de 24 horas foi superado em setembro. Urussanga teve 114 milímetros, enquanto São Joaquim e Rio Negrinho somaram 107 milímetros.

 

Paraná e Rio Grande do Sul

 

No Rio Grande do Sul, chegam a 12 as cidades em situação de emergência: Tabaí, Venâncio Aires, Vera Cruz, Montenegro, Mato Leitão, São Francisco de Paula, Maquiné, Pareci Novo, Cruzeiro do Sul, Taquari, Constantina e Bom Retiro do Sul. O Estado tem 1.188 pessoas desabrigadas e 3,6 mil desalojadas. Há 7.890 residências danificadas. Delas, 166 foram destruídas. Uma pessoa morreu e duas desapareceram no limite entre os municípios de Gramado e Canela.

 

No Paraná, 24 cidades foram afetadas. Há 70 desalojados, 15 desabrigados e 857 residências afetadas. Duas pessoas ficaram feridas em Ibiporã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.