SC vai receber mercadorias apreendidas na ajuda às vítimas

Caminhões com alimentos e roupas estava esperando liberação de rodovias para seguir até o Estado

Evandro Fadel, de O Estado de S. Paulo,

26 de novembro de 2008 | 14h22

Mercadorias contrabandeadas que foram apreendidas pela Delegacia da Receita Federal em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, vão ajudar a reduzir as conseqüências das chuvas em Santa Catarina. Nesta quarta-feira, 26, seguiram para Itajaí, um dos municípios no litoral do Estado mais prejudicados pelas enchentes, duas carretas carregadas de produtos. Os caminhões estavam em Curitiba aguardando a liberação do tráfego nas BRs 376 e 101, o que acabou acontecendo durante a madrugada.     Veja também: Seis cidades decretam estado de calamidade Lula vai assinar MP liberando R$ 1,18 bi para vítimas das chuvas Lula sobrevoa áreas atingidas nesta quarta Temporão anuncia R$ 100 milhões para medida de socorro BRs-376 e 101 são parcialmente liberadas População pode consumir água de piscinas Cerca de 80 mil imóveis continuam sem luz Chuva deve continuar até sexta-feira Banco do Brasil anuncia ajuda a clientes de Santa Catarina Força Nacional de Segurança segue nesta tarde para SC Defesa Civil abre conta para doações Tragédia em Santa Catarina  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Número de vítimas deve subir  Para governador, será preciso muito recurso  Morador de Blumenau relata a situação         Entre as mercadorias estão 13 barcos com motores, mais de 12 mil quilos de vestuários, 3 mil quilos de farinha de trigo, 3,9 mil quilos de farinha de mandioca e 120 mil fraldas descartáveis.   Clubes de futebol de Curitiba também começam a se mobilizar para ajudar a população do Estado vizinho. O Atlético Paranaense anunciou que está recolhendo alimentos, água, cobertores e materiais de construção no Espaço Sócio Torcedor, que fica em frente à Arena da Baixada, enquanto as catracas do Estádio Couto Pereira terão locais para coleta de alimentos não perecíveis no jogo que o Coritiba fará contra o Vasco, domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.