´Se alguém levantou bola para o outro não foi conscientemente´, diz Cristovam

O senador Cristovam Buarque (PDT) previu após o debate na TV Globo que o País pode entrar numa crise institucional caso o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vença no primeiro turno e se descubra dias depois o envolvimento dele ou do seu comitê eleitoral no episódio da compra de um dossiê.Para ele seria melhor para o próprio Lula a realização de um segundo turno dando tempo de tudo esclarecer e ele ter legitimidade numa vitória. "Se o Lula for eleito vai ser difícil uma impugnação e, caso seja responsabilizado por estes episódios o país viverá um período muito desgastante. Se o Lula for eleito e se descobrir que ele tem a ver com esses fatos, ou que o dinheiro saiu do seu comitê, claro que haverá uma crise política, porque se impugnarem a eleição dele haverá uma crise institucional muito séria. Se não impugnarem haverá uma crise de legitimidade", afirmou.O senador considerou um desrespeito à democracia e um desprezo ao eleitores a ausência do presidente no debate, mas disse que os mais atingidos foram os militantes do PT, pois neles ficarão a dúvida se o Lula faltou porque ele não tem o que mostrar ou porque ele não veio para esconder alguma coisa. A ausência vai fortalecer o segundo turno", disse o candidato.Cristovam admitiu que o debate entre os candidatos na TV Globo não foi dos mais calorosos. Afirmou que a separação entre debate e diálogo não é tão grande. "Foi um debate sem confronto , mas foi um debate muito próximo do dialogo. Se alguém levantou a bola para outro não foi conscientemente não foi dando passes acertados, foi simplesmente colocando o que cada um pensa e o outro respondendo".Na sexta-feira e no sábado, o candidato do PDT estará em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.