Reiza Lopes/Diocese de São Carlos
Reiza Lopes/Diocese de São Carlos

Se for feito cardeal, d. Paulo Cezar Costa pode ser o mais jovem da Igreja

Média do episcopado brasileiro é de 62 anos, considerando apenas os 306 bispos na ativa no Brasil

Edison Veiga, especial para o Estadão

27 de novembro de 2020 | 13h00

Apesar de currículo robusto, d. Paulo Cezar Costa chama a atenção pela pouca idade. Ele tem apenas 53 anos — a média do episcopado brasileiro é de 62 anos, considerando apenas os 306 bispos na ativa no Brasil, conforme levantamento realizado a pedido do Estadão pelo teólogo e filósofo Fernando Altemeyer Junior, professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Costa se tornou bispo com apenas 43 anos. Para efeito de comparação, o mais jovem religioso no episcopado brasileiro hoje é Francisco Agamenilton Damascena, que acabou de ser eleito e vai assumir a diocese de Rubiataba-Mozarlândia, em Goiás, em 19 de dezembro. Tem 45 anos.

Se a tradição de um arcebispo de Brasília ser feito cardeal for mantida, Costa pode se tornar o cardeal mais jovem da Igreja. No colégio cardinalício atual, o caçula é quatro meses mais velho do que o novo arcebispo de Brasília. Trata-se de de Dieudonné Nzapalainga, arcebispo de Bangui, na República Centro-Africana.

Mas Francisco já mostrou que não segue nenhuma cartilha na hora de nomear cardeais. Prova disso é que d. Murilo Ramos Krieger comandou de 2011 a 2020 a Arquidiocese de Salvador e não recebeu o barrete cardinalício. O mesmo ocorre com o arcebispo de Milão, Mario Enrico Delpini.

Tudo o que sabemos sobre:
Igreja Católicaigrejareligião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.