Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Seca faz Uberaba decretar estado de emergência

Estiagem prejudicou principalmente a agricultura, com uma perda de 30% a 50% nas lavouras do município do Triângulo Mineiro

Rene Moreira, Especial para o Estado

09 de fevereiro de 2015 | 15h52

FRANCA - A prefeitura de Uberaba, no Triângulo Mineiro, decretou estado de emergência por causa da seca que se acentuou em janeiro deste ano. O decreto do prefeito Paulo Piau (PMDB) tem validade de 60 dias e também autoriza a criação de uma comissão que estará desenvolvendo ações para enfrentar a crise hídrica.

Para comprovar a situação de anormalidade no município, foi realizado durante 15 dias um estudo parte da Secretaria de Agricultura do Estado em parceria com o Sindicato Rural da cidade e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Minas Gerais.

O levantamento aponta que na agricultura o prejuízo foi grande, com uma perda de 30% a 50% nas lavouras do município. A situação se agravou em janeiro, quando choveu pouco em Uberaba. "Na região parou de chover em 23 de dezembro e voltou a chover só em 24 de janeiro", disse o secretário municipal de Agricultura, Danilo Siqueira. 

Medidas. Em janeiro choveu na cidade 89 mm, contra 365 mm previstos para o período. Com o decreto, publicado na quarta-feira, 4, os produtores rurais podem pedir a prorrogação dos financiamentos bancários ou acionar o seguro rural. E a prefeitura terá facilitado o acesso a recursos governamentais.

Em Uberaba, onde há cerca de 320 mil habitantes, existem hoje 353 agricultores familiares inscritos no Programa de Aquisição de Alimentos, além de muitos outros que comercializam seus produtos diretamente na Central de Abastecimento (Ceasa).

Tudo o que sabemos sobre:
Crise da águaMinas GeraisUberaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.