Secretaria alega ampliação de melhorias

SMT afirma que projetos agora englobam mais acessibilidade e facilidades junto de terminais

Felipe Grandin, O Estadao de S.Paulo

30 de março de 2009 | 00h00

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) negou inicialmente que as obras previstas no pacote para melhorar o trânsito nos corredores de ônibus estivessem atrasadas, alegando que a Prefeitura não se comprometeu com datas quando as medidas foram anunciadas, em agosto de 2008. A previsão de que as obras seriam entregues no primeiro trimestre deste ano, no entanto, foi publicada pela imprensa na época e não havia sido questionada na ocasião.Posteriormente, a secretaria voltou atrás e afirmou que foi anunciada uma data para a entrega das obras: o primeiro semestre deste ano. Esse prazo, no entanto, também não será cumprido.Por fim, o órgão municipal enviou nova nota justificando o atraso e o aumento dos custos das obras, que passaram de R$ 8,1 milhões para R$ 15,4 milhões."Um dos motivos para o alongamento do prazo para as obras dos três terminais de ônibus incluídos no pacote foi a ampliação das melhorias previstas para a operação nos locais. Os novos projetos passaram a englobar a parte de acessibilidade e de melhoria no trânsito do entorno dos terminais. Com isso, o projeto original das obras foi revisto e seu orçamento foi alterado, o que modificou o prazo para a sua realização", afirmou a pasta.A secretaria informou ainda que "os processos licitatórios também enfrentaram recursos que acabaram por alongar os prazos". A pasta afirmou que foram investidos R$ 851 mil nos nove projetos do pacote até agora e que nenhuma obra deixou de ser executada por falta de recursos.ANÁLISE E OPINIÃOEspecialistas em transporte ouvidos pela reportagem acreditam que não há motivação técnica para o atraso no pacote, porque as obras são de pequeno porte e de baixa complexidade. Eles consideram que as intervenções têm impacto localizado, mas ajudam a desafogar o trânsito. "Essas obras deveriam ser feitas sem grande alarde, porque são quase todas intervenções cotidianas", afirma o engenheiro e consultor de trânsito Luiz Bottura. Segundo o consultor em engenharia de tráfego Horácio Figueira, não há dificuldade em executar o pacote. FRASESLuiz BotturaConsultor de trânsito"Essas obras deveriam ser feitas sem grande alarde, porque são quase todas intervenções cotidianas"Nota da secretaria"O projeto original das obras foi revisto e o orçamento, alterado"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.