Secretaria alerta sobre a presença de cinzas vulcânicas no ar no RS

Vigilância em Saúde faz recomendações apesar de o problema não ser de gravidade tão grande

Priscila Trindade, estadão.com.br

18 Outubro 2011 | 21h07

SÃO PAULO - O Centro Estadual da Vigilância em Saúde fez nesta terça-feira, 18, um alerta sobre a presença de cinzas vulcânicas no ar do Rio Grande do Sul, emitidas pelo vulcão chileno Puyehue. O vulcão voltou a entrar em atividade no dia 4 de junho e, desde então, a nuvem de cinzas causa cancelamentos em voos nacionais e internacionais.

Apesar da situação atual não representar um problema de maior gravidade, pessoas mais vulneráveis aos impactos causados pela poluição atmosférica como crianças e idosos devem tomar alguns cuidados. Essas pessoas são as mais suscetíveis a desenvolver problemas devido a presença de cinzas no ar.

A Secretaria da Saúde do Estado, que acompanha a situação, faz recomendações a população: Mantenha-se hidratado, tome pelo menos 2 litros de água por dia; evite esforço físico desnecessário; pneumopatas e cardiopatas devem redobrar a atenção no uso de seus medicamentos de costume e seguir as recomendações médicas para que os sintomas não aumentem e a doença não se agrave; portadores de asma, rinite, bronquite e enfisema devem seguir o uso de medicamentos rotineiros de controle das enfermidades para que os sintomas não aumentem; as pessoas que usam lentes de contato devem ficar atentas com maior ressecamento dos olhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.