Secretaria dá aulas para prevenir dengue

Médicos e biólogos da Secretaria Municipal de Saúde deram ontem uma aula a líderes comunitários da Vila Albertina sobre como evitar a disseminação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. O bairro ainda não registrou nenhum caso, mas fica na zona norte, região onde há 110 pessoas contaminadas. O evento ocorreu na Fundação Gol de Letra, dos jogadores Raí e Leonardo. "Os criadouros de mosquitos estão dentro de casa", disse a diretora do Centro de Epidelmologia, Pesquisa e Informação, Márcia Caraça. "Por isso, a comunidade é tão importante no combate à doença." Os representantes dos moradores do bairro aprenderam a não deixar água limpa parada. Eles receberam cerca de 5 mil folhetos explicativos para distribuírem na Vila Albertina. Raí também assistiu à aula e se disse assustado com o crescimento da dengue no País e com a propagação do mosquito. Além da aula, a secretaria organiza a Operação Cata-Bagulho, que recolhe, com um caminhão, os entulhos de casas em regiões com focos do mosquito. Hoje e amanhã, a operação estará no Pari e Canindé. A região de Ribeirão Preto já registra 7.069 casos de dengue este ano, em 61 cidades, após a divulgação de mais 138 resultados positivos pela Superintendência de Controle de Endemias (Sucen). São José do Rio Preto é a segunda cidade do Estado em número de casos e até ontem, havia 1.445 pessoas doentes.(Colaboraram Brás Henrique e Antônio Higa, especial para o Estado)

Agencia Estado,

21 de abril de 2001 | 04h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.