Divulgação
Divulgação

Secretária da Pessoa com Deficiência diz que foi barrada no Planalto em evento sobre o tema

Priscilla Gaspar se atrasou para discursar sobre o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência por não conseguir ingressar na sede do governo

Jussara Soares e Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2020 | 18h54

BRASÍLIA –  A secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Priscilla Gaspar, foi barrada no Palácio do Planalto ao chegar na tarde desta quinta-feira, 3, para o evento que justamente celebrava o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. O relato foi feito pela própria secretária ao discursar na solenidade que começou com quase trinta minutos de atraso justamente porque Priscilla não conseguia ingressar na sede do governo.

Surda, Priscilla é a primeira pessoa com deficiência a ocupar um cargo de segundo escalão no governo federal. Próxima à primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ela foi nomeada em janeiro de 2019 na secretaria subordinada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.  No segundo turno na campanha de 2018, Priscilla atuou como tradutora de libras no  programa eleitoral gratuito de Jair Bolsonaro.

 “Sabemos que ainda temos muitas barreiras, muitos impedimentos, de vez em quando temos algum problema. Eu infelizmente me atrasei porque tive um probleminha ao entrar aqui”,  disse Priscilla. 

De acordo com a secretária, os funcionários que fazem o controle de acesso ao Planalto, mesmo com a apresentação do crachá, não permitiram que ela entrasse.  “Ainda que eu dissesse que estava vindo para o nosso evento, no Dia da Pessoa com Deficiência, apresentando o meu crachá, não acreditaram que estava nesse evento”, relatou.

Priscilla contou que foi orientada a tentar entrar por outro lugar, mas também foi impedida de acessar o Planalto. “E eu dei a volta e também não foi liberada a minha acessibilidade, a minha entrada, mesmo eu dizendo que eu estava aqui, que era secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (...) Eu precisei dizer que eu ainda sendo uma pessoa surda não sou diferente de ninguém”, disse.

O controle de acesso ao Palácio do Planalto é feito pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comandado pelo general Augusto Heleno.  Nos eventos, os servidores do órgão ficam responsáveis por distribuir o bóton de acesso a quem tem os nomes na lista de convidados para o evento.

“Isso me mostrou que nós ainda precisamos lutar bastante em todos os dias de nossas vidas”, pontuou a secretária.

Diante do presidente Jair Bolsonaro e ministros, Priscilla fez um apelo para que as autoridades tenham “mais empatia”, mas disse ter orgulho de integrar  o atual governo que é o primeiro a se preocupar com pessoas com deficiência . “Estamos aqui hoje que todos nós somos lembrados sim e estamos vivendo um momento de protagonismo”

Além do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, o  evento também celebrou antecipadamente o Dia do Voluntariado, que ocorre no dia 5 de dezembro.  As duas causas são bandeiras da primeira-dama, que preside o programa Pátria Voluntária. Ao discursar no evento, Michelle Bolsonaro não mencionou o relato feito pela secretária. A ministra Damares Alves, do MMFDH, também não comentou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.