Secretaria diz ter dado aumento real de 57,79%

Em nota divulgada na noite de sexta-feira, a Assessoria de Imprensa da Secretaria da Segurança Pública rebateu as declarações do delegado Sérgio Marcos Roque, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, de que a Polícia Civil investiga só 5% das ocorrências porque os delegados de plantão não podem ir para o local do crime. A nota diz: "Ele (delegado Sérgio Marcos Roque) parece acreditar que quanto menos a polícia investiga, mais esclarece crimes. Afinal, quase todos os índices de criminalidade estão caindo em São Paulo. Será por falta de investigação que a Polícia Civil recuperou os quadros do Masp e da Pinacoteca, em tempo recorde, além de ter esclarecido o caso Isabella? A Polícia Civil merece todo o respeito e admiração da população e será valorizada pelo governo." A Secretaria da Segurança Pública também informou que não é verdadeira a informação divulgada por representantes de sindicatos da classe, de que os policiais civis estão sem reajuste salarial há quase 15 anos. De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Estado de Gestão Pública, todas as carreiras da corporação tiveram ganho real nesses 14 anos. "O menor salário de investigador subiu de R$ 444,64 para R$ 1.757,82, um aumento real de 57,79%", diz o documento. A nota informa ainda que, "somente no ano passado, a atual gestão concedeu aumento de 23,43% para 125 mil policiais civis, militares e técnicos científicos de todo o Estado." O governo diz ainda que nunca evitou o diálogo e que "somente em 2008 foram realizadas pelo menos sete reuniões com as entidades representativas dos policiais civis".

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.