Secretaria e Unesco vão cooperar para inclusão social

A Secretaria da Cultura do Estado e a Unesco assinaram nesta segunda-feira um protocolo de intenções de cooperação para a inclusão social. Durante o encontro com a secretaria Cláudia Costin, o representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, destacou a importância da cultura para o combate à violência e à marginalização de crianças, jovens e adolescentes.?A Unesco, com sua experiência no mundo, acredita que a ação preventiva é a que funciona e custa dez vezes menos que a repressiva.? Ele tem conversado com outros secretários sobre a importância de uma ação conjunta do Estado para a inclusão social.No âmbito da Secretaria da Educação, acredita que seja fundamental que as escolas abram nos fins de semana para atividades com a comunidade. ?Quando isso ocorre, é impressionante como muda a relação da comunidade e da criança com a escola.?Na Secretaria da Cultura, há um projeto para levar mais aparelhos culturais às regiões mais carentes. Falta a aprovação pelo Estado e pelo Senado para a liberação dos recursos do BID. A idéia é levar oficinas culturais onde não há nenhuma opção para os jovens.Com base num levantamento da Seade, de 2001, e em dados da Fundação Estadual do Bem Estar do Menor (Febem), técnicos da secretaria perceberam que a iniciação ao crime se dá em grande número nos locais em que faltam opções culturais.Para a secretaria, é fundamental que o projeto chegue aos jovens, mas as atividades não devem ser impostas. Ao contrário, os adolescentes é que devem construir o modelo. A expectativa é de que o projeto atenda 150 mil crianças por mês em quatro anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.