Secretaria nega interferência política no caso

A Secretaria de Subprefeituras, chefiada por Andrea Matarazzo, nega interferência política no caso. Em nota, informa que, em 24 de abril, donos da igreja foram à secretaria pedir reabertura e levaram laudo do Psiu, do dia 15, em que foi detectado ruído no limite permitido. Com isso, o supervisor-geral de Uso e Ocupação do Solo da pasta, Clayton Claro da Costa, assinou a liberação total do imóvel. Anteriormente, a igreja havia sido multada em R$ 25 mil, em março de 2007, por excesso de ruído; novamente multada em R$ 27,1 mil em janeiro de 2009; e interditada em fevereiro, pelo barulho. Foi aí que donos do imóvel compareceram à Prefeitura para saber das providências necessárias para regularizar o empreendimento. Mas a igreja ainda foi lacrada em 17 e 23 de abril. Para o ex-diretor do Psiu Fernando Coscioni, não bastava medição do órgão para liberar. "É preciso laudo de empresa especializada, com providências tomadas. Se um dia o barulho estava no limite, em outros estava fora." A secretaria ainda informou que o pedido de licença de funcionamento está em andamento e as fiscalizações são rotineiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.