Secretaria nega viés eleitoral

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2010 | 00h00

Procurada pelo Estado, a Secretaria de Políticas para Mulheres argumenta que, por problemas "burocráticos" na liberação do dinheiro, o material que pede votos para as mulheres - incluindo um discurso de Dilma Rousseff - ficou pronto só no mês de maio. Gerente da pasta, Elisabeth Saar nega qualquer intuito de campanha em favor da petista. "De jeito nenhum. Não tem nada a ver com campanha. Só agora tivemos dinheiro para imprimir", disse.

"A secretaria é uma facilitadora. A plataforma (conteúdo da cartilha) foi aprovada por um fórum em 2008 que reúne vários partidos. Nós então centralizamos e divulgamos o material para todos os partidos que o pediram, além de deputados, senadores e outros candidatos", disse.

O Estado pediu à assessoria para conversar com a subsecretária Sônia Malheiros Miguel, responsável pela carta enviada ao Congresso e por um site, mas a informação passada à reportagem foi a de que ela estava fora de serviço ontem por problemas pessoais. Elisabeth Saar alega que o discurso de Dilma foi incluído no livro por ela ter sido palestrante de um seminário realizado no ano passado. Segundo ela, o site Mais Mulheres no Poder está em nome de Sônia Miguel porque o Fórum Nacional de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos, que elaborou seu conteúdo, não existe juridicamente. "Há apenas uma lista de discussão e a secretaria fornece ainda a sede", afirma. / L.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.