Reprodução
Reprodução

Secretaria pede apuração rigorosa sobre a morte de procuradora em MG

Ofício da pasta de Política para Mulheres para o governo do Estado quer saber se houve omissão

Alana Rizzo, Agência Estado

02 Fevereiro 2012 | 19h20

BRASÍLIA - A Secretaria de Políticas para Mulheres, ligada à Presidência da República, encaminhou nesta quinta-feira, 2, um ofício ao governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia, solicitando a apuração rigorosa da morte da procuradora federal Ana Alice Moreira de Melo.

A procuradora federal foi morta na madrugada desta quinta-feira, 2, a facadas e o marido é o principal suspeito do crime. Eles estavam em processo de separação e Ana Alice teria sido morta durante uma discussão entre os dois.

A secretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, quer saber se houve omissão do Estado na morte da procuradora. "O que sabemos até agora é que ela registrou um boletim de ocorrência e pediu as medidas protetivas. Queremos saber o que aconteceu com o processo dela. Situações como essa têm se repetido no país", afirma a secretária.

A Lei Maria da Penha determina um prazo de até 48 horas para o cumprimento das medidas. Para Aparecida, a morte de Ana Alice comprova que a violência contra a mulher no Brasil não é um problema de classe social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.