Secretaria transfere líderes de penitenciárias de São Paulo

A Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) transferiu nesta quinta-feira líderes de rebeliões de penitenciárias das regiões Oeste e Noroeste do Estado. Também promoveu blitze em todas as penitenciárias. As ações estão relacionadas à rebelião em Valparaíso, a 577 km de São Paulo, onde 1.161 detentos destruíram praticamente todas as dependências internas do presídio e mantêm 22 agentes reféns desde as 11 horas de quarta-feira.Em Valparaíso, as negociações com os rebelados não avançaram nesta quinta. Na quarta-feira, 7 dos 29 reféns foram liberados em troca do atendimento médico para um preso e da liberação de água e gás, que haviam sido cortados no início do motim.Hoje os amotinados pediram a transferência de todos detentos da unidade como condição para libertar os 22 reféns. Mas a Secretaria não aceitou o pedido e transferiu líderes de outros presídios para impedir que ocorram novas rebeliões em apoio aos presos de Valparaíso.A Secretaria não vincula a transferência com a situação em Valparaíso. Mas uma fonte disse que a estratégia foi usada para enfraquecer a rebelião na unidade e forçar os amotinados a libertarem os reféns. Apesar do clima tenso e da destruição, que levou a tropa de choque da PM a ficar posicionada à espera de uma ordem para invadir o presídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.