AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Secretaria vai apurar negligência em hospital de Sorocaba

O secretário estadual da Saúde, José da Silva Guedes, garantiu hoje que vai apurar denúncias de negligência médica no Conjunto Hospitalar de Sorocaba, mantido pelo governo estadual. Guedes esteve na cidade participando de uma audiência pública convocada por uma comissão de representação da Assembléia Legislativa, criada para investigar irregularidades no funcionamento do hospital. O Hospitalar é o maior complexo de saúde da região sudoeste do Estado e recebe diariamente cerca de 800 pacientes de 48 municípios. Em vistorias, os deputados constataram deficiências como um aparelho de raio X amarrado com faixa de sutura, falta de kits para exames laboratoriais e de materiais básicos, como álcool e máscaras cirúrgicas, falta de funcionários e alto índice de insatisfação com os serviços prestados. A fila de espera para cirurgias eletivas chegou a ter 5 mil pacientes. Esta semana, a dona de casa Shirlei Aparecida Barros acusou o hospital de negligência. Grávida de nove meses, ela vinha sendo assistida pelo setor de neonatal. No último dia 17, sentindo fortes dores, foi examinada e liberada. Como as dores não passaram, ela procurou depois a Santa Casa, onde se constatou que a criança - um bebê do sexo masculino, sem anomalias e pesando 4 quilos - estava morta. Outra gestante, cujo nome não foi divulgado, alegou ter sido atendida às pressas porque os médicos pretendiam assistir a um jogo de futebol. Ao pedir mais cuidado, pois fora ferida durante uma raspagem, foi ofendida por um médico. O hospital alegou que realiza em média 380 partos por mês e não houve reclamações. Sobre a morte do bebê, esclareceu que, no último exame realizado na paciente, a criança estava viva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.