Secretário admite duas mortes

Os secretários de Segurança Pública Marco Vinicio Petrelluzzi, e de Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, admitiram que pelo menos dois presidiários morreram no Centro de Detenção Provisório do Belém, em São Paulo. "Sempre que há rebeliões nos presídios os detentos aproveitam para efetuar um acerto de contas entre os grupos rivais", afirmou Petrelluzzi.Ainda há controvérsias, no entanto, quanto ao número de mortos durante a rebelião no Complexo do Carandiru. A Secretaria da Segurança Pública fala em dois mortos, enquanto a Secretaria de Assuntos Penitenciários fala em cinco óbitos.Segundo um atendente do pronto-socorro de Santana, três mortos provenientes da rebelião do Carandiru chegaram ao necrotério do PS. Duas pessoas, com ferimentos leves, também foram medicadas e já foram dispensadas. Dois agentes penitenciários foram levados ao Hospital do Mandaqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.