Secretário assume CET e cria pacote com 40 medidas

?Serão ações de curto prazo para melhorar o transporte?, segundo Kassab

Humberto Maia Junior, O Estadao de S.Paulo

14 de junho de 2008 | 00h00

No primeiro dia como presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o secretário Municipal dos Transportes, Alexandre de Moraes, anunciou a criação de um pacote de 40 medidas para aumentar a fluidez no transporte público. Moraes não deu detalhes das obras e intervenções (todas pontuais), que serão divulgadas na próxima semana. Mas as ações seguiram o molde das medidas anunciadas em março pela Prefeitura, que também tinham como objetivo aumentar a velocidade dos ônibus e dar mais fluidez aos corredores. Uma delas foi a criação de um corredor de ônibus na Rua Clélia, na Lapa, zona oeste."Estamos há algum tempo estudando (medidas)", disse Moraes, durante cerimônia na sede da Prefeitura, ontem de manhã. "Soltamos 19 medidas e vamos continuar soltando outras." Em outro evento, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) também anunciou o novo pacote, classificando as medidas como "de curto prazo".Pouco antes de falar das intervenções, porém, Kassab chegou a afirmar que o que resolveria o problema de trânsito na cidade seriam ações de longo prazo. "De nada adiantam soluções paliativas de curto prazo", afirmou, para logo após defender as ações menores da Prefeitura. "Cada uma delas atende milhares de pessoas; na somatória, vão atender milhões", afirmou. SCARINGELLAKassab e Moraes negaram que a saída de Roberto Scaringella tenha sido motivada por atritos. Os dois disseram que foi a pedido do próprio Scaringella e argumentaram que o fato de ele ocupar o posto no Conselho de Administração da CET mostra que as relações são boas."O presidente Scaringella entendeu que deveria afastar-se da rotina administrativa da empresa. Continua conosco na Prefeitura, como grande especialista de trânsito que é", disse Moraes.Nos bastidores, especula-se que Scaringella tenha deixado o cargo por defender, em ano eleitoral, medidas impopulares, como é o caso do pedágio urbano. Kassab e o secretário também alinharam o discurso ao afirmar que a prioridade ao transporte público prossegue. "Continuam nossas preocupações em priorizar o transporte para que as pessoas se sintam estimuladas a deixarem seu carro em casa e circularem em ônibus, microônibus e metrô", disse o prefeito.O novo presidente da CET foi um pouco mais incisivo ao comentar que acumular os cargos poderá dar mais agilidade à execução dos projetos da Prefeitura. "Vamos partir para uma nova etapa. Comigo na presidência, vamos poder melhorar e otimizar os projetos que o próprio Scaringella vinha executando."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.