Secretário convoca reunião por segurança no Rio

Após o feriadão com 24 casos de assalto e agressão a turistas estrangeiros, a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro chegou à conclusão de que os policiais precisam ser "mais proativos". Ou seja: agirem antes que os crimes sejam cometidos. A partir disso, o secretário, Marcelo Itagiba, convocou uma reunião para a tarde desta terça com o objetivo estabelecer diretrizes para o novo comportamento dos policiais."Os policiais não devem apenas aguardar (os crimes acontecerem) ou estarem presentes. Devem buscar verificar grupos ou bandos que se movimentem de forma suspeita", explicou Itagiba. A idéia consiste em que daqui por diante os policiais abordem suspeitos, verificando suas identidades, seus propósitos e checando se há mandados de prisão, no caso de adultos, e de busca e apreensão, no de menores infratores, a serem cumpridos.Itagiba aproveitou para criticar o prefeito Cesar Maia. "A prefeitura do Rio é omissa, não cumpre suas obrigações", atacou. Itagiba acusou o município de liberar todos os menores infratores recolhidos pela PM e disse que a Guarda Municipal não cumpre sua função de proteger o patrimônio público.Para o secretário estadual de Turismo, Sérgio Ricardo de Almeida, a repercussão desses crimes no exterior é "mínima". Ele disse que o Rio paga o preço de ser transparente em relação aos índices de violência. "Nunca vi o governo da Bahia fazer relatório sobre o número de pessoas assaltadas no carnaval de Salvador", afirmou. "Não sei o que acontece em Paris, em Londres, não consigo comparar os números do Rio com as outras cidades".Cartilha - A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH) resolveu reeditar uma cartilha para orientar os visitantes e evitar que se tornem alvo fácil de assaltantes. O guia tem recomendações como não andar com câmeras fotográficas expostas, não sair com muito dinheiro no bolso, não usar jóias muito valiosas e não deixar os pertences isolados na areia para um mergulho no mar. A cartilha deve ser distribuída a partir de dezembro para a rede de hotéis do Estado, para os órgãos estaduais e municipais de promoção do turismo e para os batalhões da Polícia Militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.