Secretário de Alckmin é denunciado por abuso de poder

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Saulo Abreu, foi denunciado por abuso de autoridade pelo procurador-geral de Justiça, Rodrigo César Rebello Pinho. A denúncia, feita ontem, será apreciada pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça (TJ), e refere-se a um episódio ocorrido em maio, perto do restaurante Kosushi, no Itaim-Bibi. No caminho para o restaurante, com sua mulher e uma amiga, o secretário se deparou com cavaletes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) impedindo o trânsito na Rua Viradouro. A pedido dele, seis carros do Grupo de Operações Especiais (GOE) foram até o local para averiguar a situação. O caso acabou com o empresário Carlos Augusto de Carvalho, sócio do Kosushi, e o manobrista Willian Alexandre de Mello algemados. Nos próximos dias, Saulo deve ser notificado da acusação e chamado a prestar esclarecimentos - a defesa prévia, no jargão jurídico. Depois disso, os desembargadores mais antigos do TJ, que integram o Órgão Especial, decidem se aceitam ou não a denúncia. Como secretário, Saulo tem foro especial. Também foram denunciados um delegado e um policial que participaram do episódio. Procurado por meio de sua Assessoria de Imprensa, o secretário preferiu não falar, mas divulgou nota sustentando que "a denúncia é precipitada, tendo em vista que as testemunhas presentes ao fato ainda não foram ouvidas". De acordo com a nota, "o secretário não cometeu nenhuma irregularidade e aguarda, com tranqüilidade, a decisão da Justiça". O procurador-geral não foi encontrado pela reportagem para comentar o assunto. O sócio do restaurante e o manobrista envolvidos no caso também não foram localizados. (Colaborou: Bruno Paes Manso)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.