Secretário de Segurança da BA considera retrocesso pedidos de PMs

Maurício Barbosa se mostrou desanimado após analisar a pauta de reivindicações do movimento grevista da Polícia Militar do Estado

Tiago Décimo. O Estado de São Paulo,

17 de abril de 2014 | 11h18

SALVADOR - O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, se

mostrou desanimado após analisar a pauta de reivindicações do movimento grevista da Polícia Militar do Estado.

De acordo com o gestor, os pedidos feitos pelos policiais são "um retrocesso" nas negociações entre as partes, já que representariam um custo adicional de R$ 600

milhões por ano ao Estado, o que estaria fora dos limites orçamentários. "Aguardamos que eles encaminhem uma proposta razoável", disse ontem.

Na pauta, são listados 37 itens que os grevistas consideram "fundamentais" para a categoria. Entre eles estão, além de melhorias nos planos de carreira e de cargos e salários, pedidos como aumento e incorporação de parte das gratificações aos vencimentos, inclusão de policiais inativos na lista dos recebedores de gratificações, aumento de 200% no auxílio-alimentação e anistia administrativa dos integrantes tanto da greve de 2012 quanto desta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.