Secretário de Segurança: vídeo da festa do PCC é de 2005

O secretário de Segurança de São Paulo, Ronaldo Marzagão, tentou minimizar o vídeo de uma festa realizada pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) em Diadema. As imagens de uma confraternização de fim de ano, exibida na segunda pela TV Bandeirantes, mostram os moradores da favela Morro do Samba, no ABC paulista, consumindo drogas, armados e afrontando o poder público. Marzagão disse na, terça-feira, 13, que a gravação exibida é de 2005 e, desde então, mais de cem pessoas ligadas à facção criminosa presentes à festa foram presas. Regado à cocaína, maconha e cerveja, além de churrasco, os festejos contaram também com queima de fogos e apresentações musicais. Promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) tiveram acesso às imagens e ficaram indignados. Cerca de 500 pessoas estava reunidas na confraternização, desde crianças de colo até adultos. Traficantes apareciam exibindo pistolas e uma bandeja de cocaína circulava livremente com a sigla PCC escrita com a droga. Além disso, foram mostrados adolescentes com garrafas de cerveja e um jovem com overdose. O Morro do Samba é a mesma favela onde grafiteiros desenharam no muro uma viatura da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) capotada e PMs da guarnição feridos. A favela foi ocupada em julho de 2006 por 465 PMs. Segundo a Polícia Civil, o tráfico no local é comandado por Edilson Borges Nogueira, o Biroska, 33 anos, um dos principais líderes do PCC, preso na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no Oeste do Estado. Segundo o Ministério Público , Biroska é um dos homens fortes do PCC. Ele é condenado a 21 anos e quatro meses por tráfico e roubo e acabou preso em 2001. Da cadeia, ele comanda o tráfico em Diadema, Grajaú, na Zona Sul, e na Baixada Santista.

Agencia Estado,

14 Fevereiro 2007 | 11h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.