Secretário diz que não há razão para SP temer Beira-Mar

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Saulo de Castro Abreu Filho, afirmou hoje que não há razões para a população do Estado ficar apreensiva com a transferência do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, do Rio de Janeiro para o presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, em São Paulo. "Estamos fazendo o trabalho de casa e ninguém iria colocar a segurança do Estado em risco", reiterou. Ao comentar a transferência do traficante, o secretário aproveitou a oportunidade para lembrar as autoridades federais dos projetos que o Estado tem para a área de segurança e que estão na dependência de liberação de verbas. "Já encaminhamos a Brasília cerca de 14 projetos. Um deles, o de melhoria do sistema de comunicação da polícia, depende da liberação de recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), montante que os paulistas já contribuíram", informou. Abreu Filho reiterou que a permanência do traficante no Estado é por um período máximo de 30 dias. Questionado se esse período poderia ser estendido, comentou: "Não tenho porque duvidar desse prazo emergencial que foi estabelecido."Para ajudar a entender a violência e o poder do tráfico no Rio de Janeiro: O Mapa do Tráfico no RioO tráfico de Beira-MarExército da Colômbia anuncia a prisão de Fernandinho Beira-Mar> Beira-Mar liga políticos e policiais ao tráfico> Fernandinho Beira-Mar é transferido para o Rio Beira-Mar lidera motim em Bangu e mata rivaisDe segurança máxima, prisões têm só o nomeBangu 1: 14 anos, 48 celas e muitas ´personalidades´A segurança máxima. Aqui e nos EUAUma penitenciária à prova de Beira-MarBeira-Mar: da infância pobre ao comando do tráficoVeja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.