Secretário diz que não pode atender taxistas

Após receber uma comissão formada por 6 motoristas de táxi de frotas dacapital paulista, o secretário municipal de Transportes, Carlos Zarattini afirmouque as principais reivindicações dos taxistas não podem ser resolvidas pelasecretaria."Nós não temos poder legal para regularizar o valor das diárias. O que podemos éintermediar uma conversa com os empresários, donos das frotas de táxi e o sindicatoda categoria", afirmou o secretário. Um grupo de cerca de 100 taxistas realizaram um protesto durante a manhã de hoje,exigindo a unificação das diárias cobradas pelas frotas (R$ 50,00). Os taxistasreivindicavam ainda a isenção das diárias nos finais de semana e feriados e o fim dacobrança de multas por atraso nas diárias (25%).De acordo com o secretário, a comissão solicitou também a liberação dos pontos detáxi na capital. "Vamos estudar, analisar a legislação, mas com certeza não vaicontinuar da maneira que está", disse Zarattini. Segundo ele, hoje os pontos de táxisó são liberados para taxistas que "tem conhecimento". Zarattini também informou que a Secretaria Municipal de Transportes irá estudar apossibilidade da criação de uma portaria que proíba a transferência dos alvarás detáxi para as frotas. Atualmente, segundo ele, existem na capital paulista cerca de35 mil alvarás. Deste total mais de 5 mil estão nas mãos de donos de empresa detáxi."Há anos, o número de alvarás está congelado e não queremos aumentá-los. O quepretendemos é fazer concessões de alvarás, por um período de até 5 anos", afirmou osecretário. De acordo com ele, essas concessões deverão ser feitas por meio deconcursos. Os manifestantes, após o término da reunião, se dirigiram ao Sindicato dosMotoristas e Trabalhadores do Ramo de Transporte Urbano, Rodoviário e Anexos de SãoPaulo, para pedir apoio ao seu movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.