Secretário do RJ foi citado por traficante, diz policial

A coordenadora de inteligência da Polícia Civil, inspetora Marina Maggessi, confirmou, em depoimento à comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa, que o secretário de Esportes do Estado, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, é citado pelo traficante Alexander Silva, o Polegar, numa conversa telefônica interceptada pela polícia em 2001.Marina explicou que o traficante, atualmente preso no presídio Bangu 3, queria entregar duas fotos suas a Chiquinho, que seriam repassadas a um advogado, para tentar provar que ele não participara da invasão de uma delegacia para resgate de criminosos. Segundo Marina, Polegar fez isso porque "considerava Chiquinho pessoa idônea", e seu advogado não costumava subir o morro.A comissão de Segurança Pública investiga a denúncia de que o secretário teria pedido ao comando da Polícia Militar uma trégua no combate ao tráfico de drogas na Mangueira. A coordenadora de inteligência disse, porém, que não considera crime a relação dele com o traficante."Vejo o envolvimento do Chiquinho com menos contundência que o do João Moreira Salles, que pagou uma mesada para o traficante Márcio Amaro de Oliveira, o Marcinho VP (assassinado no mês passado, em Bangu 3), quando ele estava foragido na Argentina. Não vejo nenhum tipo de cumplicidade no caso do Chiquinho da Mangueira. Ele ser mencionado por um traficante do morro é um fato natural", afirmou Marina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.