Secretário-geral do PDT do Rio é assassinado a tiros

Polícia troca tiros com bandidos, mas ninguém é preso; mais cedo, grupo assaltou supermercado

Da Redação,

12 de julho de 2008 | 20h22

O secretário-geral do PDT no Rio, Jorge Luiz Viera, foi assassinado à tiros neste sábado, 12, na Avenida dos Democráticos, uma das mais movimentadas do bairro de Bonsucesso, na zona norte do Rio. Segundo policiais, ele voltava de um encontro com o candidato a prefeitura do Rio pelo partido, Paulo Ramos, quando seu carro colidiu com os criminosos, que estavam na contramão.  Os bandidos saltaram do carro atirando. Vieira, secretário e fundador da Juventude socialista, morreu no local. Já as outras duas pessoas que estavam no carro tiveram ferimentos leves e foram encaminhados ao Hospital Salgado Filho. Os criminosos fugiram para a Favela do Jacarezinho, em Bonsucesso. Os bandidos retornaram poucos minutos depois para tentar resgatar os armamentos perdidos na colisão, mas, acabaram trocando tiros com a polícia que fazia a perícia do local. Nenhum dos criminosos foi preso.  A Polícia não descarta a possibilidade do crime ter sido cometido pelos mesmos bandidos que mais cedo, no mesmo bairro, invadiram e assaltaram o supermercado Macro. Mas, segundo os policiais, a hipótese é difícil por conta da distância entre os dois locais. Agentes acreditam que os invasores do supermercado sejam do Morro do Adeus, e os envolvidos na morte de Vieira sejam da favela do Jacarezinho.  Segundo a polícia, os cerca de 20 homens que assaltaram o supermercado conseguiram levar jóias e dinheiro, além de mercadorias que estavam nas prateleiras do mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
tiroteioRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.