Secretário nega que haja risco de desmanche da DAS

O secretário da Segurança Pública, Saulo Abreu, disse nesta quinta-feira que os policiais das rondas da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) vão continuar investigando esse tipo de crime, mas serão utilizados também para prender todo tipo de bandido. Ele afirmou que não houve e não haverá desmanche da DAS. A polícia, segundo Saulo, conseguiu reduzir o número de seqüestros, crime que vinha preocupando nos últimos dois anos, e centenas de criminosos foram para a cadeia. "Demorou um pouco, mas acertamos."Como o seqüestro diminuiu, o secretário resolveu utilizar parte dos policiais no combate a outros crimes. "São policiais que eram da Delegacia de Turismo (Deatur), foram treinados nas rondas anti-seqüestro e agora terão outra incumbência."Saulo disse que os policiais da DAS pertencem ao Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) e podem ser utilizados em todas as delegacias do departamento. "Deic é Deic e não é DAS, Divisão do Patrimônio ou Divecar. O policial é do Deic e, por isso, deve trabalhar onde houver necessidade."O grupo da DAS - formado por delegados e investigadores - vai continuar combatendo esse tipo de crime. "A base não será mexida. Nada vai mudar." Neste mês, houve dois seqüestros, e a DAS e a polícia do interior continuam investigando um caso, que já dura meses. "Quando precisamos fortalecer o setor de combate aos seqüestros, ampliamos a divisão com mais policiais e carros. Agora, outros setores do Deic estão precisando e os policiais estão preparados para mais esse desafio", disse Saulo.Ele acredita que a concorrência em um departamento é benéfica para o trabalho, mas os policiais precisam entender que o objetivo de todos é um só: "Dar tranqüilidade à população e tirar o criminoso das ruas".O secretário não comentou esse ponto, mas sabe que na polícia sempre houve disputa entre delegacias do mesmo departamento e entre os demais departamentos. Muitas vezes, as informações que uma tem sobre determinado bandido não são passadas para outra, que investiga o crime. Isso atrasa a apuração.Saulo disse estar contente com o trabalho das delegacias do Deic e pretende descentralizar o combate ao crime organizado, principalmente roubo de carga e carros. Para fortalecer o departamento, mandou pintar todos os carros com o nome Deic. "Não vai ter mais Garra, DAS ou outro nome. Será somente Deic." A reestruturação dos distritos policiais da capital, para combater e esclarecer os crimes, é o atual desafio da secretaria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.