Secretário quer fortalecer a Rota

Em discurso no batalhão, Ferreira Pinto diz que unidade foi sucateada

Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

26 de maio de 2009 | 00h00

A Rota se tornou "sucateada, desprestigiada e até mesmo maus policiais passaram a integrá-la", mas será "equipada e fortalecida". O diagnóstico sobre a unidade mais tradicional da Polícia Militar de São Paulo foi feito ontem pelo secretário da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, em discurso na sede do batalhão, durante a cerimônia de posse do novo comandante, o tenente-coronel Paulo Adriano Lopes Telhada. Ferreira Pinto criticou os que se "encolheram, fugindo das responsabilidades inerentes ao cargo", "que tinham sob os ombros a difícil tarefa de executar uma política de segurança pública". Eles não deu nomes aos responsáveis pelo sucateamento da Rota, mas disse que não se referia a "passado recente". "É bom que se frise."Segundo ele, alguns chefes tinham receio de usar a Rota. "É notório que ela não estava sendo empregada com toda a sua força", afirmou ao Estado. "Em matéria de segurança pública, o politicamente correto beira à hipocrisia." Em seu discurso, Ferreira Pinto afirmou que "agir com rigor no combate ao crime violento não significa incursionar para o abuso, descambar para o mau combate, implantar a barbárie". Para ele, a Rota "deve voltar ao lugar que ocupava com destaque e eficiência no combate aos criminosos violentos e covardes"."Tão covardes que não titubearam em fuzilar recentemente dois soldados da PM não nos dando alternativa senão chorar com famílias humildes com prole numerosa, que não terão nunca o amparo e consolo de segmentos que se dizem defensores dos direitos humanos." Por isso, disse o secretário, a "Rota vai se fortalecer, se equipar e atuar na defesa dos direitos humanos dos cidadãos, sejam eles do bem ou do mau". Em seguida, o secretário disse à tropa formada: "A Rota vai agir no estrito cumprimento do dever legal. Tem profissionalismo suficiente para atuar dentro da legalidade. Aqui só há lugar para a apologia da legalidade. Eventuais deslizes serão rigorosamente punidos."A posse do tenente-coronel Telhada na Rota contou ainda com a presença de outros dois secretários - Lourival Gomes (Administração Penitenciária) e Luiz Massao Kita (Casa Militar). "A Rota começa a mudar pelo comandante", disse Ferreira Pinto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.