Secretário quer reorganizar vans

Zona sul será a primeira região em que as peruas ficarão responsáveis pelos percursos dentro dos bairros

O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2022 | 00h00

Para tirar do sufoco quem depende de ônibus e microônibus na capital, o novo secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, promete começar as mudanças pelos extremos. As alterações anunciadas ontem prevêem a ''''readequação das linhas'''' que atendem a periferia. A área selecionada para iniciar o processo é a campeã de reclamações: a zona sul, de onde vêm 11% das 4,9 mil queixas mensais recebidas pela São Paulo Transporte (SPtrans). ''''A questão mais importante é uma readequação das linhas de ônibus. Os técnicos avaliaram que não é necessário ampliar o sistema viário ou o número de quilômetros rodados'''', afirmou Moraes.  Como o transporte pode melhorar? O novo projeto não é tão inédito. A proposta é fazer com que as cooperativas (vans e lotações) atendam os percursos feitos em um mesmo bairro, em trajetos mais curtos. Já os ônibus maiores serviriam para ligar áreas diferentes, dos terminais até o centro, mudanças já anunciados na gestão Marta Suplicy e por Frederico Bussinger, antecessor de Moraes na gestão de Gilberto Kassab.Segundo Moraes, as divisões de itinerários não se concretizaram de forma total porque muitos ''''adendos na legislação foram assinados'''' pelos empresários.''''São aditivos que foram temporários, previstos para a readequação (das empresas) às mudanças. O prazo (para a adequação) venceu, o que vai permitir a reestruturação.''''O vice-presidente do Sindilotação, Senival de Moura, acha que a reestruturação das linhas da periferia não deve ser prioritária. ''''Já passamos por uma readequação há dois anos e não acredito que hoje haja uma sobreposição das linhas. Queremos ser chamados para ouvir as propostas.'''' ''''Desde que a secretaria garanta a sobrevivência das cooperativas com as mudanças, nós seremos parceiros do poder público'''', disse Luiz Carlos Pacheco (o Pandora), responsável pela CooperPan, a maior empresa de lotações da zona sul. ''''Precisamos participar das mudanças, até para opinar sobre o que precisa ser feito.''''Segundo a SPtrans, a principal reivindicação dos moradores da zona sul é o grande intervalo entre os ônibus. Na manhã de ontem, a reportagem foi até a região apontada como a mais problemática e constatou o inferno diário de quem depende de ônibus e microônibus para se locomover. As longas filas precedem a dificuldade em garimpar um assento ou até mesmo em achar um lugar para se segurar. Dentro do Terminal Vargem Grande, cerca de 80 pessoas esperavam o ônibus para Santo Amaro, o mais cheio.Quem se dispunha a viajar em pé saía mais rápido: até 15 minutos. Os que queriam um assento precisavam esperar mais tempo. ''''Leva uns 50 minutos. Tem de esperar uns 5 ou 6 ônibus'''', disse a metalúrgica Ivanilda Serra de Souza.ANA CAROLINA MORENO, ANDRESSA ZANANDREA, FELIPE GRANDIN E FERNANDA ARANDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.