Secretários depõem sobre contratos de lixo

Os secretários municipais de Infra-Estrutura Urbana, Walter Rasmussen, e de Implementação de Subprefeituras, Arlindo Chinaglia, confirmaram presença no depoimento marcado para as 13 horas desta terça-feira na Câmara. Os dois foram convidados pela Casa para falar sobre a contratação emergencial de empresas de limpeza urbana, firmada em janeiro. A bancada de oposição tem levantado suspeitas de irregularidades no procedimento. Rasmussen afirmou nesta segunda que esteve na Câmara há um mês e meio para esclarecer as mesmas dúvidas apontadas pelos parlamentares. "A reunião esgotou-se por falta de assunto", disse. "Questionaram tudo o que se pode imaginar, e ficou tudo muito bem esclarecido." Segundo Rasmussen, na ocasião estiveram presentes cerca de 25 vereadores. Ele garantiu, porém, que está disposto a ir à Casa sempre que necessário. "Se for perguntado, responderei tudo de novo." O secretário ressaltou já ter explicado duas contratações que deram origem a suspeitas, as da Vega Engenharia e da Construrban.Condenada em primeira instância por irregularidades na coleta de lixo e varrição, a Vega doou R$ 500 mil à campanha da prefeita Marta Suplicy (PT). A Construrban pertence a um administrador regional da gestão Luiza Erundina (1989-92), que até dezembro era filiado ao PT.Apesar de ter prometido comparecer, Chinaglia argumentou que o assunto não diz respeito à sua pasta. "Não fazemos contratos de lixo nem fiscalizamos", afirmou o secretário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.