Segundo caso fatal de dengue hemorrágica no Rio

Um rapaz de 19 anos, que morava no bairro Penha Circular, é o segundo caso de vítima fatal por dengue hemorrágica no Rio, este ano.Ele morreu nesta terça-feira no hospital Salgado Filho, no Méier. Os técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) suspeitam de dengue tipo 3.Na última sexta-feira, uma moradora da Tijuca, de 61 anos, morreu no Hospital do Andaraí.O rapaz apresentava os sintomas clássicos da dengue desde o dia 19. Ele tinha febre, dores no corpo e nas articulações e cansaço intenso.Uma hemorragia digestiva agravou seu estado de saúde. Ele foi atendido no Posto de Atendimento Médico Rodolpho Rocco, em Del Castilho, e transferido para o Hospital Salgado Filho, nesta terça-feira de manhã, onde os médicos constataram insuficiência renal e respiratória. O paciente não resistiu.Técnicos da SMS colheram sangue para análise em laboratório, a fim de confirmar a suspeita de dengue tipo 3. Também serão feitos exames nas vísceras do rapaz, cujos resultados podem complementar o exame de sangue.A Secretaria Municipal de Saúde enviou seis agentes de saúde à Penha Circular para fazer o "bloqueio epidemiológico" num raio de 300 metros da casa do rapaz - os agentes procuraram focos do Aedes aegypti, pulverizaram depósitos de larvas, transmitiram informações aos moradores.Eles não encontraram focos do mosquito na casa do rapaz, mas localizaram quatro depósitos de larvas na vizinhança.Até o momento foram notificados 3.651 casos de dengue na cidade, 285 confirmados laboratorialmente, com três casos hemorrágicas.A Tijuca é o bairro em que há maior incidência, com 165 notificações, 16 delas confirmadas por laboratório (dengue clássica).A Penha Circular teve 22 casos registrados, um deles confirmado em laboratório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.