Segurança atira em jovem que cantava rap em ônibus

Irritado com um grupo de jovens que cantava rap, o segurança Erison da Silva Santos, de 32 anos, sacou uma pistola dentro de um ônibus, na noite de terça-feira, e baleou na cabeça o menor Leonardo de Souza Ribeiro, de 16 anos, que morreu a caminho do hospital. Santos está preso na carceragem da Polinter, na zona portuária.O coletivo, da linha 853 (Vila Kennedy-Barra da Tijuca), onde o garoto estava com quatro amigos, passava pela Avenida das Américas, no Recreio dos Bandeirantes, zonaoeste do Rio, quando o segurança entrou.Testemunhas contaram que, por não gostar das músicas cantadas pelo grupo, Santos sacou sua pistola 380, gritou para que os jovens saltassem e fez três disparos. Dois amigos de Leonardo, Vanderson Soares do Carmo, de 18 anos, e G., de 15, sofreram escoriações ao descer do coletivo. Os rapazes contaram na 16ª Delegacia Policial (Barra da Tijuca) que acharam que iriam morrer. ?Ele começou a gritar: ?Desce todo mundo agora?. Se o motorista não abrisse a porta rapidamente, ele iria balear todos nós?, contou Vitor Silva, de 18 anos, que conseguiu escapar sem ferimentos.Santos, que trabalha num shopping center, foi detido por policiais militares que estavam num posto policial na Avenida das Américas.Autuado em flagrante por homicídio doloso (com intenção de matar), o segurança disse na delegacia que não tinha intenção de ferir Leonardo e que pretendia apenas assustar ogrupo. Ele também acusou os rapazes de fumar maconha dentro do ônibus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.